Elaine Cristina Ritter

Published:

This essay has been submitted by a student. This is not an example of the work written by our professional essay writers.

FACULDADE ANHANGUERA de bauru
CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

a logística do etanol como redução de custos nas rodovias.

eLaine cristina ritter

jonas vidal previero

thalita de oliveira lima

bauru

2009

eLaine cristina ritter

jonas vidal previero

thalita de oliveira lima

a logística do etanol como redução de custos nas rodovias.

Trabalho de conclusão de curso apresentado a Faculdade Anhanguera de Bauru como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Administração.

Orientador: Professora Érika Paveloski

BAURU

2009

eLaine cristina ritter

jonas vidal previero

thalita de oliveira lima

a logística do etanol como redução de custos nas rodovias.

Bauru, ____ de ___________________ de 20____.

_________________________________________________

Orientador/Presidente da Banca Examinadora

_________________________________________________

Primeiro Examinador

_________________________________________________

Segundo Examinador

"No início, o necessário garantia a empregabilidade.

Depois, oportunidades possibilitavam ascensão.

Agora, num universo virtual, evidencia-se o talento”.

Jorge Cristian Gounaris.

Dedicamos este trabalho à nossas Famílias

pela paciência e por suportar a nossa ausência

durante o curso e na realização deste trabalho e a todos que,de forma direta ou indireta,participaram

na conclusão do mesmo.

AGRADECIMENTOS

Primeiramente a Deus pela vida, oportunidade, saúde e principalmente por estar presente em todos os momentos de nossas vidas. Aos nossos pais que contribuíram para que hoje pudéssemos estar aqui subindo mais esse degrau. Aos funcionários da biblioteca da Faculdade Anhanguera de Bauru, pela dedicação e interesse em nos auxiliar na realização deste trabalho. Também gostaríamos de agradecer à orientadora Erica Paveloski, pelo empenho e paciência.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo identificar a relação dos caminhões-tanque e os itens que compõem os custos logísticos da distribuição de biocombustíveis automotivos, especificamente o etanol, e os relacionamentos da cadeia de suprimento no transporte rodoviário visando o melhor custo-benefício da entrega do produto desde o ponto de partida até a porta do distribuidor/consumidor, garantindo então a sua satisfação. A atenção quanto a uma boa segurança do transporte é de extrema importância, pois ajuda a prevenir problemas futuros com a carga, ex: os desvios de carga, roubos, as condições que o modal se encontra, equipe qualificada, entre outros. Portanto é importante se certificar se o melhor preço está atrelado aos melhores benefícios, evitando que aconteçam prejuízos maiores ao decorrer do transporte. O estudo apresentado foi realizado a partir de pesquisas bibliográficas e artigos de autores com relevância no assunto em questão. Com base nessas análises, concluem-se as vantagens e desvantagens do transporte rodoviário do etanol.

Palavras-chave:

Custos, logística, biocombustível.

Abstract

This study has as objective to identify to the relation of the truck-tank and the item that compose the logistic costs of the distribution of automotives fuels, specifically Ethanol, and the relationships of the supply chain in the road seeking the most cost-effective delivery of the product, since the starting point until the door of the consuming deliverer/, guaranteeing then its satisfaction. The focus on a good transport safety is extremely important, because it helps to prevent future problems with the load. Example. The deviations of load, theft, and the conditions that shift are qualified team, among others. Therefore it is important to certify itself if optimum price is into to the best benefits, preventing that bigger damages when elapsing of the transport happen. The presented study it was conducted from bibliographical research and articles of authors with relevance in the subject in question. Based on these analyses can be concluded the advantages and disadvantages of road transport of Ethanol.

Key Words:

costs, logistic, biofuels.

1 INTROdução

A nova visão da economia visa às organizações se direcionarem de uma maneira diferenciada das outras para o exigente mercado globalizado, usando métodos inusitados e canais de relacionamentos com seus clientes.

A administração se baseia nos princípios do PODC, que segundo Peter Druker significa Planejar, Organizar, Dirigir e controlar. Essas são as ferramentas básicas para uma empresa seguir com liderança na competitividade acirrada em que o mercado se encontra.

Nesta pesquisa iniciamos com a conceituação da administração, visando mostrar de um modo geral como é o seu desempenho numa organização, e qual é o papel do administrador para a empresa e as contribuições que ele proporciona para a mesma.

O objetivo deste trabalho é primeiramente apresentar quais as vantagens do modal rodoviário para a logística do etanol sendo ele um biocombustível proveniente da cana-de-açúcar.

Mostrar que o transporte rodoviário tem em vista a economia em relação aos outros modais, e principalmente garantir uma entrega diretamente na porta do cliente, neste caso aos distribuidores dos postos de combustíveis.

O transporte pelas rodovias pode ter também suas desvantagens se olhar pelo lado da poluição que ele traz ao meio ambiente e a degradação das estradas. Infelizmente muitas empresas de logística não se preocupam com a responsabilidade social em questão da poluição. Esta é a principal desvantagem das demais abordadas sobre este meio de transporte, mas comparando-se com os outros meios, proporciona muitas outras vantagens que foram apontadas.

Em seguida foi relatada a logística de um modo geral, mostrando a sua definição, missão e seus principais objetivos como a obtenção da satisfação dos seus clientes juntamente com baixos custos e principalmente o cuidado e a conservação da carga transportada.

O transporte de carga perigosa como foi citado na pesquisa, exige muitos cuidados e regras a serem seguidas. O principal é a condição em que o veículo a transportar a carga se encontra e consequentemente a qualidade e treinamento dos funcionários.

Foram abordados os modais: rodoviário, marítimo, aéreo e por dutos. No Brasil o transporte mais utilizado para a logística do etanol é o rodoviário através dos caminhões tanques.

Devido à atualização do assunto e interesse sobre os biocombustíveis por serem feitos de elementos biológicos e por proporcionarem vantagens para a sociedade e para o meio ambiente, apresentou-se os diversos tipos existentes, mas dando ênfase ao etanol, sendo ele o principal e mais utilizado no país.

Esta pesquisa foi desenvolvida e elaborada de acordo com as normas da ABNT(associação brasileira de normas técnicas).

A metodologia por fim foi inteiramente baseada e concluída de acordo com os livros e artigos de autores respeitáveis dos assuntos abordados durante toda a pesquisa.

1ADMINISTRAÇÃO

1.1 Definição da administração

A administração estuda as ações humanas com a finalidade de conseguir um resultado eficaz e retorno financeiro de forma sustentável e com responsabilidade social. Administrar envolve a elaboração de planos, pareceres, relatórios, projetos, arbitragens e laudos, em que é exigida a aplicação de conhecimentos próprios às técnicas de Administração.

Segundo Maximiano (2002): “Objetivos, decisões e recursos são as palavras-chave na definição de administração. Administrar é o processo de tornar e colocar em pratica decisões sobre objetivos e utilização de recursos”.

Para administrar um negocio o empresário tem que estar sempre atendo para saber onde investir, quem contratar, que área seguir no mercado, como promover a organização e escolher os parceiros ideais.

1.2 Papel do administrador

O profissional trabalha em praticamente todos os departamentos de uma organização. É responsável pelo planejamento de estratégias e pelo gerenciamento do dia-a-dia da companhia e conduz recursos financeiros, materiais e humanos. Administra as relações entre a empresa e os funcionários, cuida dos processos de admissão, treinamento e demissão. Organiza planos de carreira e programas de benefícios. Outra possibilidade é atuar no controle dos estoques de matéria-prima e insumos, gerenciando os processos de compra. No setor financeiro, operam nas áreas de custos, orçamentos e fluxo de caixa. Pode se envolver, ainda, com a publicidade e o marketing.

Como a atuação do administrador é bastante ampla, esse profissional se faz necessário em todo tipo de empresa (fabrica, comercio, serviços, indústria) e em praticamente todas as áreas, desde a comercial, passando por logística, financeira e compras, até recursos humanos.

Segundo Jonh W. Riegel, "o êxito do desenvolvimento de executivos em uma empresa é resultado, em grande parte, da atuação e da capacidade dos seus gerentes no seu papel de educadores. Cada superior assume este papel quando ele procura orientar e facilitar os esforços dos seus subordinados para se desenvolverem".

Fayol foi o primeiro a definir as funções básicas do Administrador: planejar, organizar, controlar, coordenar e comandar - POCCC.Hoje em dia as funções básicas do administrador são conhecidas como PODC, planejar, organizar, dirigir e controlar.

Segundo Araujo (2004), "as funções do gestor foram, num primeiro momento, delimitadas como: planejar, organizar, comandar, coordenar e controlar. No entanto, por ser essa classificação bastante difundida, é comum encontrá-la em diversos livros e até mesmo em jornais de forma condensada em quatro categorias. São elas: planejar, organizar, liderar e controlar."

2 LOGÍSTICA

2.1 Definição de logística

Logística é o conjunto de operação, planejamento e armazenagem de mercadorias, informações e serviços da empresa, associando e diminuindo custos das funções desde a produção até a entrega, garantindo vantagens competitivas na cadeia de abastecimento e a satisfação dos clientes.

“Logística é a gestão de fluxos entre funções de negócio. A definição atual de logística engloba maior amplitude de fluxos que no passado, Tradicionalmente, as companhias incluíam a simples entrada de matérias-primas ou o fluxo de saída de produtos acabados em sua definição de logística. Hoje, no entanto, essa definição expandiu-se e inclui todas as formas de movimentos de produtos e informações.” (COPACINO, W. C., BRITT, F. F., p.3).

Segundo Bowersox, Donald J. (2007), A estruturação da logística como uma organização integrada apareceu pela primeira vez na década de 50.

A logística envolve a integração de informações, transporte, estoque, armazenamento, manuseio de materiais e embalagem. A responsabilidade operacional da logística está diretamente relacionada com a disponibilidade de matérias-primas, produtos semi-acabados e estoques de produtos acabados, no local onde são requisitados, ao menor custo possível. (BOWERSOX, 2007)

Ela tem o objetivo de atender as necessidades dos seus clientes, proporcionando um custo baixo devido ao meio de transporte utilizado, consequentemente a segurança do produto desde o ponto de aquisição da mercadoria até o ponto final da entrega, garantindo a satisfação do cliente.

A missão da logística é posicionar o estoque quando e onde ele é necessário, de modo que viabilize vendas lucrativas. (BOWERSOX, 2007)

Neste meio deve-se ter agilidade, fazendo com que esse trabalho execute de forma harmônica, sendo uma parte integrante de todos os processos. A logística sem duvida contribui para o crescimento e sucesso das empresas, proporcionando entregas dos produtos dentro dos prazos desejados, seus clientes podem ser desde as casas dos consumidores, às pequenas e grandes empresas.

A logística é vista como a competência que vincula a empresa a seus clientes e fornecedores. As informações recebidas de clientes e sobre eles fluem pela empresa na forma de atividades de vendas, previsões e pedidos. (BOWERSOX, 2007)

2.2 Modais de logística

Atualmente, as empresas estão terceirizando suas atividades relacionadas a distribuição e focando suas atividades na area dos negócios da empresa.

A logistica tem grande importância dentro da empresa por ser uma atividade de alto custo. Os custos da logisitca estão diretamente associados ao peso, volume, preço, fragilidade, tipo e estado físico do material e estes aspectos influenciam ainda na escolha dos equipamentos de movimentação, da qualificação e quantidade pessoal envolvido na operação, pontos de apoio, seguro.

Outra escolha muito importante para ser efetuado a logisitca das empresas é o modal de transporte.Podem ser enviados por modo maritimo,aereo,ferroviario, rodoviario e por dutos.

A figura 02 mostra a distribuição dos modais de transporte no Brasil de acordo com a ANTT.

2.2.1 Modal ferroviário

O transporte ferroviário é o transporte efetuado de pessoas ou materiais, por um comboio, automotora ou outro veículo semelhante. O comboio circula numa via férrea composta por carris dispostos ao longo de um percurso determinado. Paralelamente, existe um sistema de sinalização e um sistema de electrificação. A operação é realizada por uma empresa ferroviária, que se compromete a fazer o transporte entre as estações ferroviárias. A potência para o movimento é fornecida por um motor a vapor, diesel ou motor eléctrico de transmissão,é o mais seguro dos transportes terrestres.

Bowersox (2007) afirma que o modal ferroviário transporta grandes cargas de forma econômica,indicado para transportar produtos específicos de baixo valor agregado como,por exemplo,oriundos da industria de extração de matérias-primas,produtos agrícolas,derivados do petróleo ,produtos siderúrgicos,para movimentação de longa distancia.

É um meio de transporte fundamental da cadeia logística que facilita as trocas comerciais e o crescimento económico, possui uma elevada capacidade de carga e extramamente eficiente, precisa de flexibilidade e uma contínua aplicação de capital. Efetuado normalmente para o transporte de cargas de baixo valor total, em grandes quantidades, entre uma origem e um destino, a grandes distâncias, tais como: minérios, produtos siderúrgicos, agrícolas e fertilizantes, entre outros.

2.2.1 Modal rodoviário

O transporte rodoviário é o transporte feito por estradas, rodovias, ruas e outras vias pavimentadas ou não com a finalidade de transportar materiais, pessoas ou animais de um lugar a outro. Representa a maior parte do transporte terrestre, o mais utilizado no país, 96% do movimento de passageiros e 60% do transporte rodoviário.

Segundo a COPPEAD, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o transporte corresponde a 6% do PIB nacional.

A figura 04 abaixo mostra as principais rodovias da região sudeste do Brasil.

Segundo a ANTT, existem cerca de 130 mil empresas de transporte de cargas no Brasil com mais 1.6 milhões de veículos que oferece trabalho, diretamente, a pelo menos 5 milhões de pessoas.

Na logística o transporte rodoviário é uma das áreas mais importantes. Segundo a COPPEAD, os custos com transporte chegam a 60% dos custos logísticos e a redução de custos nessa área é muito importante, pois corresponde em média 20% do custo total das empresas. Cada vez mais as empresas estão de olho nessa fatia do mercado, pois o transporte no Brasil chama a atenção por faturar mais de R$ 40 bilhões e movimentar 2/3 do total de carga do país.

2.2.3 Modal aéreo

O transporte aéreo é o movimento de pessoas e mercadorias pelo ar com a utilização de aviões ou helicópteros.É usado principalmente para movimentar passageiros ou mercadorias urgentes ou de alto valor.

O avião é o meio de transporte que mais contribuiu para a redução da distância-tempo, ao percorrer rapidamente distâncias longas. Rápido, cômodo e seguro o avião suplantou outros meios de transporte de passageiros a médias a longas distâncias. Este transporte implica construção de estruturas muito especiais. Os aeroportos requerem enormes espaços e complicadas instalações de saída e entrada dos voos. Por outro lado, os custos e a manutenção de cada avião são bastante elevados. Tudo isto contribui para encarecer este meio de transporte.

Segundo Bowersox (2007), o modal aereo é o que possui o custo mais elevado, tornando-se o mais caro,e por esta razão ele é o transporte menos utilizado dos modais existentes.Sua vantage4m é a de ser o mais rápido na entrega da carga que, é transportada atraves de avoiões.É o tipo de transporte mais novo.O transporte aereo é responsavel por apenas 1% do total de toneladas-quilometros intermunicipais. Ele ainda tem uma vantagem disitnta em termos de perdas e danos.

A Aviação Brasileira cresceu muito nos últimos anos, com o surgimento de novas companhias aéreas e a modernização das demais, foi possível aumentar o número de assentos disponíveis na malha aérea e popularizar o transporte aéreo no Brasil.

As maiores empresas aéreas brasileiras são: TAM, GOL, VARIG(extinta), OceanAir, novas empresas aéreas como a WebJet, Azul estão entrando na competição com as grandes empresas, com essa maior concorrência foi possível melhorar o serviço e reduzir as tarifas.

2.2.4 Modal marítimo

O transporte marítimo é o transporte aquático que utiliza como vias de passagem os mares abertos, para o transporte de mercadorias e de passageiros (Chorão, 2003, p. 647). O transporte fluvial usa os lagos e rios. Como o transporte marítimo representa a grande maioria do transporte aquático, muitas vezes é usada esta denominação como sinónimo.

Com o desenvolvimento da industria automóvel e da aviação a importância do transporte marítimo decresceu, mas ainda assim é eficaz para curtas viagens ou passeios de lazer, Os navios já há muito que são utilizados para efeitos militares, tanto para formação, invasões, bombardeamentos, transporte de armamento e recursos como por exemplo os Porta-aviões.

O transporte marítimo pode englobar todo o tipo de cargas desde químicos, combustíveis, alimentos, areias, cereais, minérios a automóveis e por ai adiante. A carga chamada carga geral é transportada em caixas, paletes, barris, contentores etc. Um dos meios de empacotamento de carga mais utilizados e que mais contribuiu para o desenvolvimento do transporte marítimo desde a década de 1960 é o uso de contentores. Existentes em tamanhos padronizados permitem o transporte de carga de uma forma eficiente e segura, facilitando o transporte e arrumação da carga dentro dos navios. Existem softwares especializados para o carregamento de contentores, divulgando informação sobre como e de que forma dispor a carga dentro dos contentores, optimizando espaço e cumprindo regras de transporte, por exemplo cargas leves em cima de cargas pesadas.

A figura 05 mostra os princiapis portos maritimos do Brasil.

2.2.5 Modal dutoviário

Este modal de transporte vem se mostrando como uma das formas mais econômicas de transporte para grandes volumes principalmente de óleo, gás natural e derivados, principalmente quando comparados com os modais rodoviário e ferroviário.

Segundo ANTT transporte Dutoviário pode ser dividido em:

1 - Oleodutos, cujos produtos transportados são em sua grande maioria: petróleo, óleo combustível, gasolina, diesel, álcool, GLP, querosene e nafta, e outros.

2 - Minero dutos, cujos produtos transportados são: Sal-gema, Minério de ferro e Concentrado Fosfático.

3 - Gasodutos, cujo produto transportado é o gás natural. O Gasoduto Brasil-Bolívia (3150 km de extensão) é um dos maiores do mundo.

O transporte tubular pode ser instalado em qualquer terreno ou ambiente. Para isso existem três tipos de transporte tubular : terrestre, subaquático e aéreo. É responsável pela diminuição de tráfego nas rodovias , ferrovias e no modal maritimo, aumentando assim a sua segurança e diminuindo a poluição causada pelo tráfego.

2.2.6 Multimodal

O transporte multimodal é a utilização de vários modos de transporte, de forma a tornar mais rápidas e eficazes as operações de transbordo, deste maneira são necessarios mais de um tipo de veiculo para levar a mercadoria até seu desino final,podendo ser caminhoes,navios, aviões ou outor tipo de transporte.

Para um transporte ser considerado multimodal, é necessário que (Rodrigues, 2002, p.103):

* Seja realizado, pelo menos, por dois modos de transporte;

* Exista um único responsável perante o dono da carga (OTM);

* Exista um único contrato de transporte entre o Transportador e o dono da mercadoria;

* Exista um conhecimento único (Multimodal Bill of Lading ), válido para todo o percurso;

* Sejam utilizadas cargas unitizadas indivisíveis;

* Sejam feitas inspecções fiscais apenas na origem e no destino

2.3 Vantagens e desvantagens do transporte rodoviário

O transporte mais utilizado e principal do Brasil é o transporte rodoviário. Fazendo uma comparação dos transportes no país, aproximadamente 56% da movimentação de cargas passam pelas rodovias, 21% delas passam pelas ferrovias e apenas 18% vão por hidrovias; é uma diferença considerável comparando com os outros modais, isso se deve à falta de investimentos nas ferrovias e hidrovias, ocasionando o maior fluxo nas rodovias. (NEVES, portal: www.portogente.com.br)

As estradas do território nacional possuem uma expansão muito grande, das quais uma pequena porcentagem está pavimentada, a falta de conservação das rodovias gera um comprometimento com as pessoas que viajam e principalmente dos motoristas de caminhões tanque, pois sua carga se não for corretamente transportada, e não trafegar em estradas adequadas causa perigo para a população e para o meio ambiente.

Algumas desvantagens e problemas que o transporte rodoviário apresenta, destacamos:

* Perda de negociação juntamente aos clientes devido à competição acirrada de várias empresas no setor de logística;

* As más condições nas rodovias;

· Alta poluição;

* O roubo de cargas e

* Caminhões sem condições de tráfego.

Essas são algumas das muitas desvantagens que o modal rodoviário tem, mas isso não exclui as vantagens que possui.

O transporte pelas rodovias se torna mais rápido e flexível no acesso às cargas, pois, pode-se interagir em regiões distintas, mesmo estando em lugares mais afastados e remotos, como os lugares mais despovoados do país. Esta praticidade torna-se mais aparente no caso de nesses locais afastados não haver outros modais a disposição para a população nestes pontos.

Outra qualidade importante da modalidade rodoviária, como é simples e rápido o seu funcionamento, referente à disponibilidade quando exigida pelo embarcador.

As qualidades que fazem com que o transporte rodoviário seja um dos mais utilizados no Brasil:

· A entrega do produto com rapidez e agilidade;

· Possibilita a entrega do produto na porta do cliente;

· A mercadoria pode ser entregue diretamente ao comprador, assim ele não terá de buscá-la, e

· A unidade de carga chega até a mercadoria, enquanto nos outros modais a mercadoria deve ir ao encontro da unidade de carga.

(NEVES, Portal: www.portogente.com.br)

Os tópicos citados são algumas das diversas vantagens que o transporte rodoviário proporciona.

2.4 Logística de carga perigosa

A maioria dos motoristas que trabalham diariamente com o transporte de cargas perigosas como os combustíveis, não se preocupam com os cuidados necessários com a carga e com o risco que ela provoca para o meio ambiente e para a sociedade.

Rodrigo Battiston, instrutor do Sest/Senat, diz que: “A preocupação com o transporte das cargas perigosas está diretamente vinculada com a segurança, proteção e preservação do meio ambiente. Os motoristas e autônomos de grandes transportadoras devem fazer o curso MOPP (Movimentação de Produtos Perigosos), que é obrigatório para quem trabalha com esses tipos de carga.” (www.forumdasegurança.com.br).

Dentre os acidentes relacionados com cargas perigosas, as causas mais comuns encontram-se, danos dos veículos, capotamento, colisões e falha durante operação de carga e descarga, podem ser consideradas como conseqüências dos acidentes, o vazamento, ignição ou explosão, evitada pelo cumprimento da legislação e pelo aumento da fiscalização.

Industrializar, transportar e comercializar produtos perigosos as empresas devem possuir as devidas licenças e atender à resolução 420.

A resolução 420 é o regulamento dos transportes terrestres de produtos perigosos no âmbito nacional visa aprovar instruções complementares de cargas perigosas, adotando as devidas providencias a fim de cooperar com os cuidados exigidos e fiscalizações.

“A Diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, no uso de suas atribuições legais, fundamentada nos termos do Relatório DNO - 036/2004, de 11 de fevereiro de 2004 e CONSIDERANDO o disposto no art. 3º do Decreto nº96. 044, de 18 de maio de 1988, no art. 2º do Decreto nº 98.973, de 21 de fevereiro de 1990, os quais aprovam, respectivamente, os Regulamentos para o Transporte Rodoviário e Ferroviário de Produtos Perigosos.” (www.antt.gov.br/resolucoes)

Para que o transporte ocorra com segurança, é preciso que a logística contratada seja especializada, evitando acidentes, atendimento ao cliente e danos maiores para o meio ambiente.

Para fins de transporte, por via pública, considera-se como produto perigoso substâncias encontradas na natureza ou produzidas por qualquer processo que possuam propriedades físico-químicas, biológicas ou radioativas que representem risco para a saúde de pessoas, para a segurança pública e para o meio ambiente.

O motorista deve possuir habilitação para transportar produtos perigosos, utilizar veículos em boas condições de uso e adequados para ser transportada carga, adotando as precauções necessárias contra riscos à saúde. (portal fórum da segurança, 2009).

No Brasil os transportes de bicombustíveis são via terrestres (rodoviário e ferroviário), os rodoviários são feitos através de rodovias e o ferroviário através de estradas férreas.

Os transportes ferroviários são feitos com vagões e equipamentos de acordo com as exigências exigidas para total segurança, e o trem que os transportam terão que seguir as normas estabelecidas, como equipamentos de proteção, comunicação, matérias de primeiros socorros, vale também ressaltar que não é permitido o transporte misto, consolidando cargas perigosas e passageiros.

No transporte rodoviário são utilizados caminhões-tanques, e todos seguindo as normas exigidas para o transporte de cargas perigosas, desde o carregamento, transbordo e descarregamento.

Segundo a empresa transjordano, a logística ideal para o transporte do etanol deve seguir algumas normas:

* Não ultrapassar o limite máximo de velocidade: 80km/hora;

* O tempo de direção carregado deve ser de 6 à 7 horas;

* Em São Paulo é proibido o tráfego de caminhões das 17:00 às 20:00;

* É necessário que o motorista faça um intervalo da sua jornada de pelo menos 7 horas diárias.

(http://www.ietha.org)

De acordo com a ANTT os deveres, obrigações e responsabilidades do transportador são:

• Dar adequada manutenção e utilização aos veículos e equipamentos;

• Fazer acompanhar as operações executadas pelo expedidor;

• Providenciar e Instruir o uso do conjunto de equipamentos necessários às situações de emergência (KIT);

• Zelar pela qualificação do pessoal envolvido, proporcionando treinamentos, exames de saúde e condições de trabalho;

• Providenciar a correta utilização dos rótulos de risco e painéis de segurança;

2.5 Logística como redução de custos no transporte

O transporte é o fator de maior custo dentro da logística. Se bem aplicado, suas conseqüências trarão bons resultados para a empresa, por isso, é de suma importância que essa área seja bem planejada a fim de trazer lucratividade e redução de custos para uma organização.

Dois fatores relacionados ao transporte são relevantes neste trabalho. O primeiro refere-se ao fato de que, em geral, quanto maior a carga transportada menor o custo por unidade de massa. Na atividade em questão, isto significa dizer que quanto maior o compartimento menor o custo por unidade de massa. O segundo fator é a importância do custo do transporte, que muitas vezes representa a maior parcela individual dos custos logísticos (BOWERSOX & CLOSS, 1996).

Segundo Paulo Fernando Fleury o transporte é o principal componente dos sistemas logísticos das empresas. Sua importância pode ser medida através de pelo menos três indicadores financeiros: custo, faturamento e lucro. O transporte representa, em média, 64% dos custos logísticos, 4,3% do faturamento e, em alguns casos, mais que o dobro do lucro. Além disso, o transporte tem um papel preponderante na qualidade dos serviços logísticos, pois impacta diretamente o tempo de entrega, a confiabilidade e a segurança dos produtos.

Importante ressaltar que os valores apresentados podem variar substancialmente, de setor para setor, e de empresa para empresa. A participação no faturamento, que em média é de 4,3%, pode variar, por exemplo, de 0,8% no caso da indústria farmacêutica, a 7,5%, no caso da indústria de bebidas. Como regra geral, quanto menor o valor agregado do produto, maior a participação das despesas de transporte no faturamento da empresa. (www.revistaportuaria.com.br)

Administrar o transporte significa tomar decisões sobre um amplo conjunto de aspectos. Essas decisões podem ser classificadas em dois grandes grupos: decisões estratégicas e decisões operacionais. As decisões estratégicas se caracterizam pelos impactos de longo prazo e se referem basicamente a aspectos estruturais. As decisões operacionais são geralmente de curto prazo e se referem às tarefas do dia a dia dos responsáveis pelo transporte. São basicamente quatro as principais decisões estratégicas no transporte: escolha de modais; decisões sobre propriedade da frota; seleção e negociação com transportadores; e política de consolidação de cargas. Dentre as principais decisões de curto prazo, podemos destacar: planejamento de embarques; programação de veículos; roteirização; auditoria de fretes; e gerenciamento de avarias.

Escolha de modais: é a escolha dos tipos de transportes a serem utilizado na logística, são levados em consideração os custos, tempo de transporte até o consumidor final e a disponibilidade ou a flexibilidade do modal.

Propriedade de frota: antes de adotar qualquer decisão é necessário avaliar o custo do transporte, a qualidade do serviço, e calcular o retorno que este investimento irá lhe dar.

Seleção e negociação com transportadoras: a escolha da transportadora não deve ser apenas pelo preço, pois nem sempre a mais barata possui o mesmo serviço das demais, é necessário avaliar as condições do modal, o tempo que levará do ponto de partida até o consumidor, para não ocorrer atrasos e desvios de carga.

Política de consolidação de cargas: a consolidação de cargas serve para diminuir o custo do transporte, pode-se entender que é a junção de cargas em uma única frota. (FIGUEIREDO, FLEURY & WANKE, 2003).

A posição geográfica dos locais tem conseqüências importantes nos custos e nos fluxos logísticos. Construções de novos locais devem considerar a localização dos clientes e fornecedores e as facilidades de transporte.

A forma como o material ou o produto será transportado depende das vantagens e desvantagens relacionadas à infra-estrutura de transporte, ao volume a ser transportado, aos canais logísticos existentes, à confiabilidade da entrega e aos custos de movimentação entre outras análises. (BERTAGLIA, 2003).

“O transporte rodoviário de carga no Brasil chama a atenção por faturar o equivalente a 10% do PIB e movimentar 2/3 da carga total do país. Por outro lado, destaca-se por ser palco de vários conflitos e impasses, quase sempre por um motivo comum: o valor do frete. Isso acontece em virtude do alto grau de pulverização desse setor, que opera com mais de 800 mil transportadores autônomos, 40 mil empresas transportadoras e 50 mil transportadores de carga própria.” (FIGUEIREDO, FLEURY & WANKE, p.257, 2003).

A distribuição é um processo que está normalmente associado ao movimento de material de um ponto de produção ou armazenagem até o cliente. As atividades abrangem as funções de gestão e controle de estoque, manuseio de materiais ou produtos acabados, transporte, armazenagem, administração de pedidos, análises de locais e redes de distribuição, entre outras.

A globalização dos mercados implica as organizações se preparem para aperfeiçoar os seus transportes, minimizarem os custos e aumentarem a eficiência da cadeia de abastecimento. A disponibilidade de ferramentas tecnológicas possibilita as operações de transporte seja administrada de uma maneira menos jurássica, proporcionando ganhos efetivos no processo. (BERTAGLIA, 2003)

2.6 Importância do custo logístico

A importância do custo logístico em relação ao faturamento varia de acordo com cada empresa, e também de setor para setor. Diferentes características competem para explicar a diferença média entre o custo logístico total e o faturamento nos diferentes segmentos da economia.

· Custo adicionado do produto;

· Peso ou volume do produto;

· Obsolescência e perecibilidade do produto;

· Variabilidade da demanda ou das vendas;

· Tempo de entrega exigido pelos clientes;

· Tecnologia do processo de produção;

· Tempo de resposta das operações;

· Adoção da tecnologia de informação;

· Contratação de prestadores de serviço logístico.

Cada tópico citado acima sugere a manutenção de maiores ou menores níveis de estoque, possibilitando ou não maior nível de economia no transporte e na armazenagem. (FIGUEIREDO, FLEURY & WANKE, 2003).

O modo mais indicado no gerenciamento de frotas na diminuição de custos é o custo médio desagregado, o espaço x tempo:

O espaço: mostra a distância que deve percorrer pelo transporte para poder atender uma demanda de uma determinada viagem.

O tempo: é o tempo que o motorista vai utilizar junto ao veículo para atender essa mesma demanda.

O método apresentado considera os custos operacionais em diferentes categorias: custos variáveis e custos fixos. Os custos fixos geralmente são expressos em reais por mês e, os custos variáveis são em reais por quilômetros rodados.

(FONTE: http://www.revistaportuaria.com.br, 2009)

3 BIOCOMBUSTÍVEIS

3.1 Definição de biocombustivel

São elementos biológicos que quando entram em combustão produzem energia, quase todos os materiais biológicos geram energia, mas não são todos que possuem um potencial combustível.

O interesse pelo uso de bicombustíveis está cada vez mais em alta, pois os combustíveis fósseis um dia acabarão, e suas reservas tendem a diminuir, além da poluição e do desequilíbrio que causam no meio ambiente, por isso o empenho de pesquisa e dedicação com esse assunto está crescendo e sempre sendo debatido com a sociedade.

3.2 Tipos de biocombustiveis

Existem vários tipos de bicombustíveis, que são; Bioetanol, biomassa, biodiesel, biogás, biometanol, bioéter, bio-ETBE, bio-MTBE, bio-sinteticos, biohidrogenio. Dentre esses, destacam os mais utilizados, a biomassa, bioetanol, biodiesel, biohidrogenio e biogás;

a) Biomassa: é feita através das substancias orgânicas, como vegetal, animal microrganismos entre outros, e ocorre quando há decomposição e queima da matéria, o que traz liberação do gás carbônico na atmosfera, que é convertido com a fotossíntese e assim não prejudicando e ajudando a preservar a atmosfera. A biomassa pode ser transformada em energia de quatro formas, que são pirólise (quando a matéria é exposta a alta temperatura sem a presença de oxigênio acelerando o processo de decomposição liberando então o metano, monóxido de carbono e dióxido de carbono), gaseificação (aquecimento da matéria sem a presença do oxigênio, gerando um gás inflamável que é filtrado para remoção de alguns componentes químicos utilizados), combustão (a matéria é elevada a alta temperatura com a presença de oxigênio produzindo alta pressão), co-combustão (substituição do carvão por biomassa em termoelétricas, trazendo também reduções significativas de gases poluentes).

b) Biodiesel: é um derivado de lipídios orgânicos, obtido através de óleos vegetais e gordura animais como algodão, girassol, mamona, soja e etc. Para obter o biodiesel é utilizado um processo que se chama transesterificação, que consiste basicamente em separar a glicerina do óleo vegetal.

c) Bioetanol: é um álcool proveniente da fermentação da sacarose de derivados como cana de açúcar, milho, uva entre outros cereais. O etanol se tornou uma das principais fontes de energia do país, dando ênfase por ser menos poluente e renovável.

d) Biohidrogênio: é hidrogênio proveniente da biomassa e/ou resíduos orgânicos tornando - se também um combustível.

e) Biogás: é um gás combustível que é obtido através da decomposição da matéria orgânica sem a presença de ar, e tem um alto valor energético. (Portal:www.wikipedia.org, 2009)

Do ponto de vista tecnológico o Brasil é líder na produção do etanol, dispõe de terras, mão de obra e também um clima que é totalmente adequado para o plantio da cana de açúcar, sem influenciar nas reservas florestais, e nas áreas de produção dos alimentos.

O tipo mais utilizado no Brasil é o etanol que vem da cana de açúcar, cuja causa dessa escolha deriva-se da baixa poluição que o álcool produz em comparação com os combustíveis procedentes do petróleo, e também por ser um produto completo que produz o açúcar e o álcool, também é muito aproveitado para a fabricação de bebidas e produtos de limpeza.

3.3 Etanol

O etanol é produzido a partir da cana-de-açúcar, mandioca, beterraba ou milho.É limpo, tem um odor agradável e sem cor,na forma concentrada é um importante combustível.

Aqui no Brasil o etanol combustível é composto de 96% de etanol e 4% de água, sua formula é C2H5OH, também é chamado de álcool etílico e, na linguagem popular apenas álcool, substância obtida da fermentação de açúcares, encontrado em bebidas como cerveja, vinho e aguardente, e na indústria de perfumaria.

As técnicas de produção do álcool, na Antiguidade apenas restritas à fermentação natural ou espontânea de alguns produtos vegetais, como açúcares, começaram a se expandir a partir da descoberta da destilação - procedimento que se deve aos árabes. Mais tarde, já no século XIX, fenómenos como a industrialização expandem ainda mais este mercado, que alcança um protagonismo definitivo, ao mesmo ritmo em que se vai desenvolvendo a sociedade de consumo no século XX. O seu uso é vasto: em bebidas alcoólicas, na indústria farmacêutica, como solvente químico, como combustível ou ainda com antídoto.

São basicamente oito passos para a formação do etanol:

1. Moagem: a cana é moída para gerar o melado.

2. Liquefação: O melado e misturado à água e aquecido.

3. Sacarose: É adicionada uma enzima para converter a goma em açúcares fermentáveis.

4. Fermentação: É adicionada levedura para fermentar os açúcares, gerando etanol e dióxido de carbono. O produto passa por vários fermentadores até estar completamente fermentada.

5. Destilação: A mistura agora contém em torno de 10% de álcool, resíduos não fermentáveis e levedura. Num sistema de multicolunas o álcool vai sendo separado dos resíduos sólidos e da água. No final do processo temos o álcool com 96% de pureza. Os resíduos podem ser aproveitados para gerar energia(Biomassa).

6. Desidratação: O restante de água é retirado para criar o chamado álcool anídro, que é o álcool misturado à nossa gasolina.

7. Desnaturalização: O etanol pode ser misturado com algum tipo de impureza como gasolina (2-5%), para que não possa ser servir de consumo humano.

8. Co-Produção: O dióxido de carbono gerado em grandes quantidades durante o processo, vai para a produção de bebidas como refrigerantes, por exemplo. As sobras sólidas têm grande valor como alimento de animais e como gerador de energia em biodigestores.

A cana-de-açúcar é a matéria-prima mais competitiva para a produção de etanol: maior produtividade, baixos custos e balanços energéticos e ambientais positivos e possui um papel de grande importância para o desempenho do país, porque gera muitos empregos e renda, colocando o Brasil em primeiro lugar neste campo.

Ao chegar à indústria a cana-de-açúcar é pesada em balança adequada em seguida é descarregada por guinchos, uma parte armazenada para ser moída a noite, quando não há transporte e a outra é descarrega diretamente na mesa alimentadora onde também é lavada para ser industrializada. A lavagem é importante, pois a cana vem da lavoura trazendo consigo bastante terra e areia, que iriam prejudicar o restante do processo. Lavada a cana, a esteira vai transportá-la até o picador, que corta a cana em pedaços e a seguir ao desfibrador, que irá abrir as células da cana para facilitar a próxima etapa, que é a extração do caldo. Essa extração é feita nas moendas, no total, a cana passa por quatro ternos de moenda para que todo o caldo seja aproveitado. Para que isso ocorra é feita, também, uma embebição d'água após a passagem do 1º terno. Dessa moagem vai resultar o caldo de cana e o bagaço. Parte será queimado na caldeira, que é a unidade produtora de vapor que irá gerar toda energia necessária ao complexo industrial, e uma porcentagem é hidrolizada servindo para ração animal. O outro produto, o caldo, passa pelo "cush-cush", que é dotado de uma peneira onde separa o caldo e o bagacilho. Quase todos os açúcares existentes na cana vai estar neste caldo, que é caldo misto e é bombeado para os aquecedores entre 90º e 105ºC, seguindo para o decantador, onde ocorre a decantação das impurezas nele contidas, o que resulta o caldo clarificado e o lodo para a recuperação do caldo nele existente, através de filtros rotativos a vácuo, retirando-se o caldo limpo e a torta, a qual é enviada para lavoura como adubo, pois é rica em sais minerais. O caldo clarificado é bombeado para um tanque "pulmão", passando a seguir por um trocador de calor, onde é resfriado para então seguir para o processo de fermentação. A fermentação é o processo que transforma os açúcares em álcool, pela ação das leveduras. As leveduras estão contidas no fermento, que é misturado no caldo, para que todos os açúcares sejam transformados em álcool. A mistura vai ficar nas dornas por volta de 06 a 08 horas. Uma vez fermentado o caldo, obtém-se o vinho. O vinho é centrifugado, separando-se em duas partes: na primeira parte, vamos obter o leite de levedura, que foi o responsável pela transformação. Essa parte será usada em novas fermentações, logo após sofrer um tratamento químico adequado. Além do processo de transformação, uma porcentagem é desidratada servindo para ração animal na Segunda parte, o vinho delevedurado, que contém de 7% a 8% de álcool, e o restante, impurezas líquidas. Como o álcool tem um ponto de ebulição menor que o da água, é possível separar os dois por um processo de destilação. na destilação aparece a vinhaça, que é a parte aquosa do vinho, sendo um sub-produto de alta importância para a lavoura, pois é rico em sais minerais, mas que também é um agente poluidor de meio ambiente. Se não for tratada e usada de forma racional, pode poluir os rios, ameaçando a fauna e as populações que se abastecem dessa água. A produção de 01 litro de álcool acarreta a produção de 13 litros de vinhaça, que depois de depositadas em tanques naturais é enviada para a lavoura através de canais, bombeada e distribuída por aspersões. www.udop.com.br

Após a destilação, finalmente obtém-se o álcool hidratado, produzido dentro das normas do "CNP-IAA”, com grau alcoólico entre 92,6º e 93,8º INPM, par ser utilizado como combustível. Este álcool é armazenado em reservatórios de grande capacidade, aguardando para ser distribuído por todo País.
(www.udop.com.br)

Segundo ETH Bioenergia S.A. o Estado de São Paulo é a base da produção:

* 70%da cana da Região Centro-Sul e 60%da do País

* 75%do açúcar do Centro-Sul e 62%do País

* 68%do álcool do Centro-Sul e 62%do País

O Programa Nacional do Álcool ou Proálcool foi criado em 14 de novembro de 1975 pelo decreto n° 76.593, com o objetivo de estimular a produção do álcool, visando o atendimento das necessidades do mercado interno e externo e da política de combustíveis automotivos. De acordo com o decreto, a produção do álcool oriundo da cana-de-açúcar, da mandioca ou de qualquer outro insumo deveria ser incentivada por meio da expansão da oferta de matérias-primas, com especial ênfase no aumento da produção agrícola, da modernização e ampliação das destilarias existentes e da instalação de novas unidades produtoras, anexas a usinas ou autônomas, e de unidades armazenadoras.

(http://www.biodieselbr.com)

Os benéficos comparativos entre os poluentes combustíveis proporcionam ao etanol (proveniente da cana de açúcar) uma larga vantagem ao meio ambiente, pois com ele desde o processo inicial da produção até a sua queima somente 10% dos gases poluentes são liberados a atmosfera, sendo que o restante se consome durante o ciclo de vida do combustível, e também por não possuir alguns elementos que prejudicam o meio ambiente e agridem a atmosfera como por exemplo o benzeno.

3.4 Visão geral do mercado mundial do biocombustivel

O mercado global do etanol possui 42 bilhões de litros, uma visão geral do mundo em relação a este mercado.

àAmérica do norte e central 36%

àAmérica do sul 36%

àEuropa 9,8%

àÁsia 16,2%

àBrasil 35%

O Brasil possui uma porcentagem alta em comparação com as outras localidades do mundo, representa 35% da produção total.

Potencial de mercado do Etanol Combustível:

1,5 Bilhões de litros (2006) → 7,0 Bilhões de litros (2010)

(Portal: www.inmetro.gov.br)

“Os biocombustíveis terão participação garantida no pool de combustíveis de transporte. O mercado exigirá competitividade, preço e eficiência dos biocombustíveis. A indústria nacional deverá qualificar mão de obra e impulsionar o desenvolvimento tecnológico, buscando competitividade de custos. A Petrobrás continuará a desenvolver os mercados internacionais de etanol combustível e investir na infraestrutura de exportação brasileira, realizando pesquisas de novas tecnologias de produção.” Diz Paulo de Tarso Costa, engenheiro químico analista de comércio e suprimento da Petrobrás. (www.inmetro.gov.br)

MAPA MUNDIAL DE PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR

Segundo o ministro da agricultura, Reinhold Stephanes, que o Brasil pode dobrar a produção de etanol em 20 anos, com o aprimoramento genético da cana-de-açúcar e novas tecnologias para melhor aproveitar o seu bagaço. A afirmação foi feita no encerramento do workshop defesa agropecuária no contexto da produção de cana-de-açúcar. “Hoje são produzidos cerca de nove mil litros de etanol por hectare de cana plantada, em 20 anos esse número pode chegar a 16 ou 18 mil litros”, ressaltou Stephanes. Segundo o ministro, o Brasil tem todas as condições para desenvolver novas tecnologias, capazes de melhorar a cana-de-açúcar, torná-la mais produtiva e manter a hegemonia no mercado mundial. (Fonte: www.portaldoagronegocio.com.br)

REFERÊNCIAS

A importância da gestão de custos nas atividades do transporte rodoviário de carga. Disponível em: http://www.revistaportuaria.com.br. Acesso em 19 de outubro de 2009.

ANTT. Disponível em http://www.antt.com.br. Acesso em 19 de novembro de 2009.

ARAÚJO, Luis César G. Teoria Geral da Administração: aplicação e resultados nas empresas brasileiras.São Paulo: Ed. Atlas, 2004.

BALLOU, Ronald H. Logística Empresarial. São Paulo: Ed Atlas, 2007.

BERTAGLIA, Paulo Roberto. Logística. São Paulo: Ed. Saraiva, 2003.

Biblioteca UOL. Disponível em: http://www.uol.com.br. Acesso em 15 de novembro de 2009.

Biocombustíveis, Disponível em: http://www.wikipedia.org. Acesso em 13 de setembro de 2009.

Bowersox,Donald J.; Closs,David J. Logística Empresarial: O processo de Integração da Cadeia de Suprimento. São Paulo. Atlas,2007.

COPACINO, W. C., BRITT, F. F., Perspectives on global logistics, international journal logistic management. São Paulo p. 3.

COSTA, Paulo de Tarso. A Visão da Área de Biocombustíveis por parte de Produtores e Traders. Disponível em: http//:www.inmetro.gov.br. Acesso em: 08 de novembro de 2009.

Evolução do programa nacional do álcool - Proálcool http://www.biodieselbr.com.br . Acesso em 10 de novembro de 2009.

FIGUEIREDO, Kleber fossati; FLURRY, Paulo Fernando; WANKE, Peter. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos. São Paulo: Ed. Atlas S.A, 2003.

Logística para Exportação do Etanol. Disponível em: http://www.ietha.org. Acesso em: 05 de novembro de 2009.

MAXIMIANO, Antonio Amaru. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução digital. São Paulo:Ed. Atlas, 2002.

MOREIRA, Iso. A importância do etanol para a economia brasileira. Disponível em: http://www.dm.com.br. Acesso em: 13 de setembro de 2009.

NEVES, Marco Antonio Oliveira. Panorama do transporte rodoviário de cargas no Brasil, Disponível em: http://www.portogente.com.br. Acesso em 19 de outubro de 2009.

NOVAES,Antonio Galvão.Logística e gerenciamento da Cadeia de Distribuição.Rio de Janeiro:Elieser,2004.

Produção de etanol pode dobrar em 20 anos. Disponível em: http://www.portaldoagronegocio.com.br. Acesso em: 05 de novembro de 2009.

Resolução 420. Disponível em: www.antt.gov.br/resolucoes. Acesso em: 11 de novembro de 2009.

RODRIGUES, Paulo Roberto Ambrosio.Introdução aos sistemas de transporte no Brasil e à logística internacional. São Paulo: 2ª ed. rev. Aduaneiras, 2002.

Transporte de carga perigosa, disponível em: http://www.forumdasegurança.com. Acesso em 19 de outubro de 2009.

4 METODOLOGIA

Este trabalho foi desenvolvido em três etapas; pesquisa, análise e conclusão, buscando informações, tratando-as e trazendo a análise crítica das situações e contextos estudados. Para isso foram feitas pesquisas bibliográficas em livros e revistas especializadas, sites, trabalhos acadêmicos, dando ênfase a integração entre modais de transporte. Análise das informações institucionais, históricas e tecnológicas sob aspectos do transporte biocombustível e dos impactos sobre a economia e o meio ambiente.

Conclusão

Foi abordado através de pesquisas que a importância do biocombustível, dando ênfase ao etanol produzido através da cana de açúcar traz relevância na atualidade por se tratar de um fator essencial para a humanidade, a fonte de energia, renovável e menos prejudicial ao meio ambiente.

Focado na logística do biocombustível, o trabalho deu atenção de como explorar da melhor forma essa área e estudar uma maneira de transporte que procure trazer agilidade e versatilidade ao processo de distribuição do produto, melhorias na economia e no transito rodoviário, podendo o mesmo se estender em busca de novos mercados e novos consumidores, desse tipo de combustível, que a cada ano está constante crescimento.

Foram levantados dados relativos ao inicio do carregamento, transbordo até a entrega do produto, formas de transportes, recomendações para uma boa logística de carga perigosa.

Conclui que a logística do transporte do etanol pelo modal terrestre possui o melhor custo beneficio pois consegue levar o produto do canal de produção até o consumidor final sem precisar de outros transporte.

Writing Services

Essay Writing
Service

Find out how the very best essay writing service can help you accomplish more and achieve higher marks today.

Assignment Writing Service

From complicated assignments to tricky tasks, our experts can tackle virtually any question thrown at them.

Dissertation Writing Service

A dissertation (also known as a thesis or research project) is probably the most important piece of work for any student! From full dissertations to individual chapters, we’re on hand to support you.

Coursework Writing Service

Our expert qualified writers can help you get your coursework right first time, every time.

Dissertation Proposal Service

The first step to completing a dissertation is to create a proposal that talks about what you wish to do. Our experts can design suitable methodologies - perfect to help you get started with a dissertation.

Report Writing
Service

Reports for any audience. Perfectly structured, professionally written, and tailored to suit your exact requirements.

Essay Skeleton Answer Service

If you’re just looking for some help to get started on an essay, our outline service provides you with a perfect essay plan.

Marking & Proofreading Service

Not sure if your work is hitting the mark? Struggling to get feedback from your lecturer? Our premium marking service was created just for you - get the feedback you deserve now.

Exam Revision
Service

Exams can be one of the most stressful experiences you’ll ever have! Revision is key, and we’re here to help. With custom created revision notes and exam answers, you’ll never feel underprepared again.