This dissertation has been submitted by a student. This is not an example of the work written by our professional dissertation writers.

Memórias desarrumadas de uma vida que caminha a um ritmo de um inter-cidades

A História da minha vida começa um pouco antes de eu nascer, porque para que eu tivesse nascido foi preciso que o meu pai e a minha mãe se tivessem conhecido e à 50 anos atrás tal facto só acontecia na maioria dos casos, se essas duas pessoas fossem vizinhas ou de muito perto, porque os meios de transportes não eram muitos e também não existiam grandes possibilidades para os pagar, o que fazia com que as pessoas na maioria dos casos se deslocassem a pé. Também, os meios de comunicação não eram muitos. Não existiam telemóveis, os poucos telefones públicos eram escassos as pessoas tinham que se deslocar km para ter acesso a um, não existia internet.

Em Fevereiro de 1971, um pouco antes de eu nascer o meu pai emigrou para a Alemanha, em busca de um salário melhor.

Em 1971 a Alemanha tinha saído de uma grande guerra e já se encontrava numa fase de crescimento muito avançado em relação a Portugal, pois o meu pai diz que a fábrica de têxtil para a qual ele foi trabalhar era enorme, que sozinha ocupava a área de todo o parque industrial das Sete Fontes, que se situa no Bairro das Sete Fontes, que pertencente a freguesia de S. Victor que foi onde eu nasci.

UM Dr3 Naquela época, foram muitos os que emigraram, uns para a Alemanha, outros para a França e muitos destes ainda lá se encontram pois viram lá nascer e crescer os seus filhos e netos. Contudo tal como hoje também alguns foram para lá ilegais e para isso era preciso atravessar os montes e as serras a pé até chegarem a Espanha, caminhos esses que eram utilizados também para fazer tráfico de gado, bebidas e tabaco. Na zona norte um dos caminhos clandestinos era através da serra do Gerez, pois era a forma que eles tinham para passar para Espanha sem ser pela fronteira, fronteiras essas que deixaram de ser fiscalizadas com a entrada de Portugal na união europeia em 1986 sendo esses Países actualmente a Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, estónia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, lituânia, Luxemburgo, malta, Holanda, polónia, Portugal, Reino Unido, Republica Checa, Roménia, Suécia.

A primeira viagem que o meu pai fez para a Alemanha foi feita de comboio e de autocarro, e levou imenso tempo a chegar lá, mas era mais económico do que ir de avião.

No primeiro ano que esteve lá não veio de férias, e só no ano seguinte é que consegui vir de férias e fez a viagem de avião, como todas as outras que se seguiram, visto que era uma viagem cara ele só regressava a Portugal apenas uma vez por ano o que não ficava nada barato.

Também naquele tempo as zonas rurais ficaram um pouco abandonadas devido a emigração, tal como agora estas zonas continuam a perder a sua população mais jovem que vêm para os centros urbanos à procura de emprego e melhores condições de vida.

Hoje em dia estas pessoas já se deslocam com mais facilidade, pois quase todos eles tem carro próprio e até os que se encontram fora do País já vêem a Portugal mais do que uma vez, por ano, muitos destes repartem as férias e vem passar uns dias no verão, na Pascoa e no Natal. No entanto esta fácil e rápida deslocação deve-se não só ao facto de quase todos eles terem carro próprio, mas também a um grande avanço na tecnologia dos carros, que faz com que estes se desloquem a uma maior velocidade, segurança e conforto e com isto também surgiram melhorias nas estradas e auto-estradas, quer a nível de acesos como na melhoria dos pisos. Hoje em dia temos também uma grande ajuda que é o GPS que se encontra no mercado a um preço cada vez mais acessível.

Em 14 de Maio de 1971 nasci, sou filha de uma senhora que se chama Maria do Sameiro e de um senhor João e a única coisa que tem em comum são os filhos, pois a minha mãe é de estatura baixa, olhos castanhos e o cabelo preto e é uma pessoa que engorda com facilidade, já o meu pai é uma pessoa de estatura alta, olhos verdes e cabelo mais claro, bom neste momento o cabelo deles esta a ficar branco. O cabelo branco nem sempre é sinónimo de velhice pois eu com 18 anos já tinha mais cabelos brancos do que os meus pais, o que para a minha família é hereditário, pois a minha bisavó paterna e a minha avó materna, também de muito novas já tinham a maior parte dos cabelos branco.

Isto é verdade porque os seres vivos, transmitem aos seus descendentes determinadas característica. Estas características hereditárias, ou genes encontram-se em cada uma das nossas células, mais propriamente nos cromossomas das células. No entanto, o responsável pelos genes são uma substancia química em forma de linha, o ADN.

A cada uma das partículas de ADN dá-se o nome gene. São também os genes que determinam a nossa aparência. Como os filhos herdam os genes dos pais, é muito provável que eu seja parecida com os meus pais ou descendentes.

Este ADN encontra-se em células corporais, como no sangue, na saliva e ate mesmo num fio de cabelo.

O ADN é composto por quatro bases a adenina, a timina, a guanina e a citosina (A, T, G e C). Esta é uma impressão digital genética que pode ajudar a identificar a pessoa quer em termos de parentesco como de criminais, pois não existem duas pessoas iguais geneticamente.

Se eu cometer um crime e deixar algum gene (cabelo, saliva, unha, um pouco de pele etc.) um criminalista pode chegar até mim, pois eles investigam partes especiais de um ADN através de meios químicos. No ADN existem partes pequenas que se repetem varias vezes.

O número de vezes que estas repetições têm lugar é-lhes revelado a impressão digital genética. Estas são compostas por seis pares de números que são gravados num banco de dados.

É graças a esta ciência que se pode explicar o porquê de não ser aconselhar o casamento entre familiares, como por exemplo primos, pois os descendentes destes têm mais probabilidades de sofrer uma doença genética rara. Estas doenças são designadas por Doenças Lisossomais de Sobrecarga, e atingem tanto os homens como as mulheres. Os sintomas revelam-se quando as duas cópias do gene associado a uma doença Lisossomais de sobrecarga são herdadas do pai e da mãe.

Em Portugal foram identificadas 27 de 40 doenças que afectam um em cada 4000 recém-nascidos, que provocam alterações mentais e/ou físicas muito graves. Não existe ainda tratamento eficaz para a maioria destas doenças.

Voltando atrás, em relação ao cabelo branco existe uma explicação para o porque das pessoas ficarem com o cabelo branco, é que no interior dos cabelos encontra-se um pigmento chamado melanina e então quem tem pouca melanina tem cabelos castanho claros e quem tem muita melanina tem cabelos pretos, no entanto com a idade, a produção de melanina vai se reduzindo e para o lugar dela, o interior dos cabelos entra ar. Este ar reflecte a luz que entra nos cabelos. Por isso os cabelos parecem cinzentos ou mesmo brancos. Já agora uma curiosidade, o pelo do urso polar é branco porque não tem melanina no lugar desta possui ar.

Recuando um pouco mais, apesar de não existirem duas pessoas iguais geneticamente, perante a lei dos direitos e deveres do cidadão todos somos iguais. Portanto é meu dever cívico respeitar todas as pessoas que me rodeiam, independentemente do seu estatuto social ou cultural. Independentemente da sua idade, sexo, cor ou religião.

É meu dever educar os meus filhos, ensinando-lhes que na vida temos vários direitos, mas também temos muitos deveres.

Tal como a minha mãe me educou pois foi criada e educada por ela, porque o meu pai não se encontrava em Portugal.

A minha mãe deixou de trabalhar quando ainda estava grávida de mim, devido a um grave problema com dois elos da coluna vertebral, e quando eu tinha três meses de vida ela foi operada e ficou internada durante quatro meses, nesse tempo eu e o meu irmão mais velho fomos para casa dos meus avos maternos.

Quando ela regressou para casa nunca mais foi trabalhar para fora e ficou a cuidar de mim e do meu irmão e para conseguir ganhar algum dinheiro ela fazia alguns trabalhos em artesanato tais como bordados, camisolas em malha e peças de madeira e vime, e eu herdei dela essa vocação.

Tudo corria bem porque eu só brincava por casa com os meus irmãos, pois entretanto ela teve mais um filho, e não nos deixava brincar com os vizinhos.

Os problemas começaram quando eu fui para a escola e lembro-me que, se eu chega-se a casa com algo que não era meu ou se não sai-se da escola e viesse directa para casa levava uma sova. O que eu não conseguia entender porque os meus colegas faziam o mesmo e os pais deles aceitavam tudo sobretudo as coisas que eles levavam para casa e diziam, tal como eu, que «acharam» então eu no princípio não entendia porque é que eu não podia e os meus colegas podiam.

Foram precisos vários anos para que eu entende-se que: eu poder fazer essas coisas posso, mas não o devo fazer porque existem regras para que neste mundo se possa habitar com dignidade, respeito e liberdade; e então foi ai que eu comecei a entender o significado de «Todos diferentes e todos iguais»

No entanto ainda hoje continuo a ouvir falar frequentemente em direitos, deveres e em garantias etc.

Estas são palavras que integram a nossa comunicação no quotidiano, que ouvimos com frequência na televisão, que lemos nos jornais, em revistas em livros e também em muitos sites na internet.

Ouvimos que toda a gente tem direito a ter alimento, que toda a gente tem direito a caminhar em segurança na rua, todas as crianças devem poder ir a escola, a ajuda médica. Em contra partida achamos que ninguém deve poder matar outrem, agredir outrem, invadir a casa de outrem, roubar ou permanecer analfabeto, etc.

Quando penso nas sovas que a minha mãe me dava, estas não eram por mal, porque foi essa a mensagem que os pais dela lhe passaram «era assim porque tinha que ser assim».

Hoje também eu sou mãe, e se tenho outra forma de agir se troco as sovas por palavras é porque tive uma formação cívica diferente da dela e tive a oportunidade de

Estudar, enquanto ela de muito tenra idade foi trabalhar e mal aprendeu a ler.

No entanto a valores que não nos são impingidos pela sociedade, por muito que sejamos influenciados por ela, a valores que nascem com o nosso ser, e é por esse facto que há pais que dão a vida pelos filhos, pelo seu bem-estar físico e psicológico e há outros que vendem os filhos, usam-nos e fazem-lhes mal. É só reparar que as crianças que são abusadas, estes pedófilos na maioria dos casos são familiares.

Quando falo de direitos e deveres refiro-me a existência de dois tipos de direitos e deveres que são os cívicos e os constitucionais. Os deveres cívicos são aqueles que eu posso decidir se quero ou não, por exemplo: é meu dever cívico ser dadora de sangue e de medula óssea, então sou dadora porque quero, não porque sou obrigada por lei.

Existem muitos outros exemplos na sociedade como os voluntariados e instituições de caridade etc.

Por outro lado existe o direito constitucional que é um conjunto de direitos que se encontram expressos nas constituições dos diversos Estados, como na constituição Portuguesa, na constituição Mexicana e outras.

Porem, pode acontecer, e acontece de facto em determinados países ou regiões, que as leis nacionais não salvaguardem determinados direitos essenciais, por exemplo, que autorizem a morte por lapidação ou apedrejamento, para as mulheres acusadas de infidelidade.

Pode também acontecer que a lei preveja a liberdade de expressão, de ideias e opiniões, mas se veja aprisionado, maltratado ou ate morto porque ousou expor o seu ponto de vista.

Dai que para alem das leis de cada Estado que expressam, ou não, os diferentes direitos dos indivíduos, seja tão importante uma outra expressão; já não apenas nacional ou internacional, mas sim Universal dos direitos humanos. Direitos que se consagram a todo o ser humano, pelo simples facto de ser humano, para alem de quaisquer fronteiras, de quaisquer formas de governo, de qualquer condição ou religião.

Este conjunto de direitos, que se são direitos e liberdades fundamentais, encontram-se expressos na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Para que estes Direitos Humanos Universais sejam salvaguardados temos algumas organizações. A organização mestra é a Organização das Nações Unidas (ONU) no qual Portugal também faz parte. Esta organização foi criada em 1945, após a segunda Guerra Mundial, e reúne todos os Estados do Mundo.

Actualmente fazem parte desta Organização 192 países. Tem por fins principais assegurar a paz e desenvolvimentos Mundiais.

Foi a ONU que em 1948, aprovou o texto da Declaração dos Direitos Universais.

A ONU para mais facilmente intervir na procura da resolução dos problemas que afligem a humanidade, possui agências especializadas em problemas tão diversos como a saúde, educação, ciência, cultura, protecção de crianças, etc.

Algumas destas agências são:

_OMS (Organização Mundial de Saúde) cujo objectivo é assegurar a todos os povos o mais elevado nível de saúde possível.

Unesco (Organização das Nações Unidas para a educação, ciência e cultura); especialmente destinada a assegurar e desenvolver a cooperação internacional nos campos da educação, ciência e da cultura.

Unicef (Fundo I internacional de Emergência para a Infância das Nações Unidas); destinado a proteger e auxiliar todas as crianças no campo da saúde, alimentação, educação e defesa dos seus direitos.

Com o avançar da idade vou compreendendo cada vez mais o significado de cada artigo, pois na minha vida também eu vou usufruindo destes direitos tais como o direito ao voto que é um que eu ganhei quando fiz 18 anos, desde então não faço disso um direito mas também um dever e sempre que há eleições eu vou votar, pois o voto é a forma através da qual eu posso manifestar a minha vontade.

E como pessoa do sexo feminino que sou, não devo nem posso deixar de pensar que para que eu possa votar foi preciso muita luta e só no inicio da década dos anos 30, esse direito saiu com o decreto-lei 19694 de 5 de Maio de 1931, pela qual na primeira vez na historia politica do pais as mulheres são consideradas como eleitoras.

Este decreto contudo era bastante limitativo, pois permitia que as mulheres votassem para as juntas de freguesia mas só aquelas que eram chefes de família ou seja, as viúvas, divorciadas, solteiras etc. Não podiam votar. E para Câmaras Municipais só podiam votar todas as mulheres que tivessem completado o ensino secundário ou algum curso superior certificado.

E em 1934, nas listas para as primeiras legislativas concorrem três candidatas a deputadas.

Um outro direito do qual eu gozei foi quando me casei no ano 2000, com o pai dos meus dois filhos, eu fi-lo de livre vontade.

É também um direito e dever, meu e do meu marido, sabermos educar e instruir os nossos filhos para os preparar para a vida sem nunca os privar de viver em harmonia no seu dia-a-dia.

Tentamos contudo que se integrem dentro das lidas da casa onde habitam, ajudando em pequenas tarefas, sem que isso se torne uma exploração física ou psicológica.

No entanto nem todas as crianças gozam dos direitos de ser criança. É por exemplo o caso da Marta e do Pedro que habitam nas serras e os pais não os deixam ir á escola porque têm que levar as cabras a pastar no monte, e mais grave ainda, é o que se passa com muitos meninos no Vietname que são vendidos pelos pais a comerciantes de amêijoa e passam o dia dentro da água para a pesca desta. É também o caso de muitas meninas, no Brasil, que os pais as levam para junto das estradas principais dos camionistas para aí as obrigarem a prostituir-se; ou na China onde varias crianças são raptadas para serem escravizadas; ou em África onde as crianças são raptadas e levadas para campos de treino militar a fim de serem treinadas e usadas na linha da frente durante os combates.

Mas mudando de assunto, no campo profissional, para além de muitos deveres, também tenho muitos direitos como é o facto de eu ter trabalho e poder escolher para que quero trabalhar. No meu emprego, sou tratada com dignidade e condições justas de um modo geral, pois recebo um salário tabelado por lei, que me permite assegurarem os bens essenciais para a minha família.

Durante o meu horário de trabalho tenho direito a uma pausa de 10 minutos e a dois dias de folga por semana. Tenho também direito, a férias remuneradas de 22 dias de férias no mínimo e 25 no máximo se eu durante o ano a que estas digam respeito nunca tenha faltado.

Estas férias são atribuídas da seguinte forma:

_ Se eu nesse ano não der 1 falta ou 2 meios-dias ganho mais 3 dias de férias

_ Se eu nesse ano não der 2 faltas ou 4 meios-dias ganho mais 2 dias de férias

_ Se eu nesse ano não der 3 faltas ou 6 meios-dias ganho mais 1 dia de férias

Estas férias são sempre acordadas entre mim e a minha chefe e são afixadas no máximo até ao dia 15 de Abril.

Para alem destes deveres patronais escritos na constituição da republica é meu dever não faltar ao trabalho sem uma justificação e a comunicar sempre que possível com antecedência para que a empresa não fique prejudicada.

Desde que saiu este decreto - lei todos os anos gozo de 25 dias úteis, excepto no ano em que fui operada e que estive de baixa hospitalar. Isto aconteceu em Janeiro de 2006, ano em que fui operada a um tumor no ovário esquerdo ao qual me foi retirado este órgão, no entanto este é um órgão que não é imprescindível para a minha sobrevivência, o facto de me ser retirado em pouco ou nada me alterou.

Já se me tivessem tirado os dois o meu corpo sofria uma grande alteração, pois eu entrava na menopausa o que não seria nada agradável, não pelo facto de não poder ter filhos, porque eu também não quero ter mais nenhum, mas sim porque passava a ter todos os sintomas desagradáveis da menopausa.

Apesar de não ser grave, de uma coisa não me livrei que foi da sensação da dor e a dor não deixa ninguém indiferente. Ela também é uma emoção, e uma emoção penosa e desagradável, que me leva a pensar, se eu tivesse que viver com ela todos os dias, como é o caso de algumas pessoas, eu preferia ter direito a escolher a morte. Sou a favor da eutanásia no entanto acredita que se tal fosse aprovado existiriam por certo muitos abusos. Como é o caso do aborto, em que as pessoas utilizam este último recurso para remediar algo que o tempo e a vida podem transformar no maior bem da nossa vida. Como é o caso da minha filha Inês em que eu fiquei grávida e não desejei aquela gravidez. Provavelmente se naquela época o aborto fosse legal e facilitado ela não teria nascido, e quando eu olho para a carinha dela sinto uma enorme revolta comigo mesma por imaginar que eu desejei tal coisa ao bem mais precioso da minha vida.

Na vida nem tudo se pode controlar, quando se pensa que já se sabe tudo sobre um determinado vírus eis que surge uma mutação. Uma mutação é uma alteração no material genético, que pode ser a nível molecular (alteração na sequencia das bases azotadas) ou cromossómico (perda ou duplicação de um fragmento de cromossoma, alteração do numero total de cromossomas, etc.)

Existem muitas bactérias que podem provocar doenças. Mas a maioria das bactérias é inofensiva e muitas são até bastante úteis. Nos nossos intestinos encontram-se muitas bactérias; elas produzem substâncias essenciais ao nosso organismo a partir dos alimentos que ingerimos. Na nossa pele vivem milhões de bactérias e são as nossas pequenas células que nos protegem de doenças pois elas são vigilantes que destroem as bactérias más. Mas dá-se o caso de que por vezes as nossas células não são suficientes para combater as bactérias e para isso precisamos da ajuda de um antibiótico. Os antibióticos são medicamentos que matam as bactérias ou impedem a sua propagação. Em 1928 Alexandre Fleming descobriu o primeiro antibiótico, ou qual deu o nome de penicilina. Existem vários antibióticos diferentes e cada um deles actua contra determinadas bactérias. Por vezes acontece, um antibiótico que actuava contra determinada bactéria, perder o efeito. Nestes casos diz-se que a bactéria é resistente ao antibiótico. Em caso contrapartida, os antibióticos não têm qualquer efeito sobre vírus ou fungos.

Por outro lado se não existissem bactérias, também não haveria iogurtes, queijo ou vinagre. Estes alimentos são produzidos com a ajuda das bactérias.

Existem outras formas de matar fungos e bactérias e que se utiliza na conservação dos alimentos como por exemplo: A salmoura, em que o sal não deixa que os vírus e fungos se estalem nos alimentos, conservando-os. Os fumeiros, que não permitem que as bactérias se estalem por muito tempo nos alimentos, este método é usado mais nos produtos de charcutaria como por exemplo nos enchidos e nos presuntos. Mas o mais usual é o frigorífico, é o método que todas as famílias usam em casa para a conservação dos seus alimentos. Estes frigoríficos podem-se classificar de acordo com o seu número de estrelas, ate a um máximo de 5 (quanto maior for o numero de estrelas maior é o tempo de conservação no gelo). Uma outra forma de conservação é o vácuo, que consiste em tirar a ar ou seja o oxigénio que existe á volta dos alimentos evitando desta forma que as bactérias se reproduzam.

As bactérias, vírus, fungos e parasitas não existem só para provocar a decomposição dos nossos alimentos.

Quando afagamos um animal pode ser benéfico para o nosso bem-estar psicológico mas também pode ser perigoso para a nossa saúde, pois os animais embora aparentem muitas vezes ser bastantes saudáveis, podem acolher estes microrganismos perigosos que conseguem saltar para os seres humanos, quer pelo contacto directo quer por intermédio dos alimentos e da água, e provocar toda a espécie de problemas para o corpo humano. Portanto todas as vezes que estivermos em contacto com um animal por muito amistoso que este seja devemos sempre lavar as mãos. No entanto acariciar ou estar perto de um animal que nos é familiar pode reduzir o ritmo cardíaco e a tensão arterial.

Um outro mal que pode assolar o nosso bem-estar é a depressão pois esta é como um cobertor cinzento que vai eliminando a chama da vida. A palavra depressão tem uns significados diferentes consoantes as pessoas, mas uma verdadeira depressão no sentido clínico do termo está ligada a uma ausência de felicidade e de esperança e a um aumento da ansiedade ou stress. Consequentemente, é mais provável que uma pessoa deprimida tenha uma auto-estima reduzida, quer esteja desempregada ou se sinta menos realizada profissionalmente, esteja isolada da sociedade, se relacione menos ou disponha de menos dinheiro para gastar. Também é mais provável que estas pessoas adquiram hábitos doentios como fumar, beber e não seguir os tratamentos médicos de que precisam. Numa situação de depressão crónica severa, quanto pior for o humor, maior é a probabilidade de essa pessoa morrer nova.

Não sei exactamente como é que a depressão afecta as defesas naturais do corpo contra a doença, mas parece que ela interfere no sistema imunitário de varias maneiras. Por exemplo, a depressão pode reduzir a actividade das células do corpo que são importantes para combater bactérias e vírus. Nos doentes oncológicos em fase de tratamento, o humor e o nível de depressão são os factores psicológicos que melhor permitem prever o tempo de vida que eventualmente lhes resta, pois a depressão parece ter um efeito distinto, reduzindo a capacidade dessa pessoa para suportar tratamentos desagradáveis e para lutar contra a doença.

Na velhice, a depressão pode desencadear o declínio da actividade mental, reduzindo a capacidade de cuidarmos de nós próprios e aumentando o risco de quedas, acidentes, malnutrição, infecções e outros problemas de saúde como é o facto de estas pessoas estarem mais sujeitas a desenvolver tipos específicos de demência, como a doença de Alzheimer.

Saúde Um outro factor que pode influenciar a nossa longevidade com dignidade é a alimentação. Ser demasiado magro (anoréctico) não é saudável, mas ser demasiado gordo (obeso) pode ser fatal pois a obesidade gera maior risco de sofrermos um ataque cardíaco ou uma trombose, de desenvolvermos cancro ou diabetes ou de padecermos de artrite.

A solução para controlar o peso é fazer uma alimentação saudável e exercício físico com regularidade. Deve pesar-se uma vez por semana para não se enganar a si próprio. Devemos criar um regime alimentar sensato e evitar dietas malucas e radicais porque aquilo que comemos e bebemos é fundamental para nos mantermos saudáveis.

Devemos ingerir alimentos com poucas calorias e com baixo teor de gorduras saturadas, ácidos gordos e colesterol pois estes aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Mas as gorduras mono e polinsaturadas parecem não ter este perfil nocivo e podem até ajudar a reduzir um pouco o colesterol.

Os principais tipos de gorduras que se encontram na nossa alimentação são as gorduras saturadas, que se encontram sobretudo em alimentos de origem animal e em alguns de origem vegetal, por exemplo, a manteiga, as natas, o leite, os queijos, o óleo de coco e o óleo de palma. As gorduras mono e polinsaturadas encontram-se essencialmente no peixe (como no salmão e na truta) e também nas sementes, nos abacates e em óleos vegetais (por exemplo o azeite e o óleo de girassol).

A nossa alimentação deve também ser composta por alimentos com alto teor de vitamina A (fígado) e de vitamina C (limas e limões).

As fibras também nos ajudam a manter saudáveis e a viver mais tempo. Devemos comer fibras solúveis, existentes nos legumes, na fruta e nos vegetais. Estas fibras reduzem os níveis de colesterol e ajudam a atrasar a absorção dos alimentos e a controlar o açúcar do sangue. E quando comemos fibras insolúveis, como por exemplo cereais integrais, fruta e vegetais, que melhoram o funcionamento dos intestinos.

Uns dos mais importantes ácidos gordos polinsaturados são os Ómega-3, pois são essências para o crescimento desenvolvimento do corpo humano. O Ómega-3 encontra-se nos peixes gordos como na cavala, no salmão ou na sardinha. Sempre que possível devemos substituir os óleos de girassol, açafrão, sésamo e milho por óleos de linhaça, noz e canola, que são mais ricos em óleo alfalinoleico Ómega-3.

Os minerais para além de terem uma importância vital no funcionamento do nosso corpo, os minerais mantêm o sistema imunitário saudável. No entanto, à medida que vamos envelhecendo, aumenta a tendência para a carência de certos minerais devido a uma dieta pobre em minerais.

Entre os minerais mágicos o cálcio, que é bom para os ossos, o ferro, para transportar o oxigénio no sangue, o selénio, para produzir determinadas enzimas, o magnésio, para auxiliar reacções bioquímicas importantes no corpo, e o zinco, para retardar a deterioração celular associada ao envelhecimento.

Há diversas maneiras de ingerirmos mais minerais. Para isso temos que fazer uma alimentação variada, porque nem todos os alimentos incluem os mesmos minerais. Por exemplo, pode-se ir buscar cálcio aos lacticínios ou aos peixes como o salmão e a sardinha; ferro à carne vermelha, aos ovos, ao feijão e aos vegetais de folha verde; e zinco à carne e aos legumes.

Em anexo tenho a roda do alimentos, que nos pode ajudar a ter uma alimentação saudável.

No entanto podemos encontrar suplementos de cálcio, vitaminas, minerais etc. Em qualquer farmácia, para-farmacia e até em supermercados, pois estes suplementos não necessitam de receita médica no entanto antes de os tomarmos devemo-nos informar com o nosso medico pois é ele que sabe se o nosso organismo necessita ou não de suplementos.

Por vezes nem sempre recorremos a um especialista para obtermos medicação e nos auto-medicamos, por vezes influenciados por amigos e familiares ou mais recentemente pelos meios de comunicação quer pela TV, como pela internet o que nos induzem por vezes a cometer erros pois informam-nos sobre determinado medicamento de cura ou prevenção, mas não nos informam e esclarecem sobre as contra indicações e efeitos secundários. E nós com a preguiça que nos é habitual também não nos damos a esse trabalho, apesar de que a linguagem usada nos textos médicos, nomeadamente nos que se encontram dentro das embalagens junto aos medicamentos nem sempre serem de fácil entendimento. Embora tem-se melhorado bastante nestes últimos anos e inclusive já vêm escritos em Braille. Um dos grandes avanços foi a informatização a nível de receitas médicas, tendo estas passadas a ser emitidas por meio informático e acompanhadas com o guia de tratamento para o utente; evitando com isto a troca de medicamentos devido à forma elegível com que a maioria dos médicos os receitava a qual nós designávamos por «letra de medico». E em relação a este facto, eu ainda hoje brinco com esta expressão popular, quando por vezes alguém não entende a minha letra eu costumo dizer «já tenho a letra agora já só me falta o diploma».

Voltando ao assunto sobre a alimentação aqui em casa usamos uma alimentação mediterrânica, muito a base de feijão, vegetais, fruta, cereais, azeite, peixe e aves; consumimos também com moderação um pouco de carne vermelha e produtos lácteos e vinho, vinho este que consumimos em quantidades moderadas.

Em casa dos meus pais nunca se comeu fast-food. Na verdade nem eu nem os meus filhos gostamos dessas comidas preferimos um arrozinho de feijão vermelho, mas não é de feijão enlatado que parece que sabe a remédio.

A minha mãe é uma mulher que gosta de cozinhar bem, quando digo cozinhar bem refiro -me a comidas bem elaboradas mas sem grandes enfeites

Apesar de hoje em dia sermos bombardeados com informações a cerca daquilo é certo ou errado na nossa alimentação, o facto de possuirmos mais dinheiro leva-nos a cometer alguns exageros alimentares e nota-se que não só na minha casa mas de modo geral as pessoas já não comem tantas vezes sopa e peixe fresco.

E como cada terra tem seu uso o facto de nos em Portugal tomarmos um pequeno-almoço a base de leite cereais e pão. Já na Alemanha isso não acontece pois o pequeno-almoço destes é feito de bacon, ovos mexidos, etc. Quando ao almoço nos costumamos comer arroz, ou batatas, ou massa eles apenas comem sandes.

Quando eu era criança nunca ouvi falar de «panela de pressão» e talvez por esse facto a minha mãe nunca tenha tido nenhuma, e por incrível que pareça também eu ainda não senti a necessidade de ter uma, no entanto sei que a cozedura numa panela de pressão é muito mais rápida o que leva a que os alimentos não percam tantos nutrientes.

Sei também que uma boa alimentação é meio caminho para uma vida saudável, mas isto por si só não chega é necessário fazer exercício físico.

Ao falar de exercício físico não quer dizer que seja necessário fazer grandes acrobacias, basta uma boa caminhada de preferência de manha cede ou ao fim do dia, nunca por debaixo do sol escaldante e de preferência longe da poluição provocada pela circulação dos carros.

No entanto é de reparar que a Câmara de Braga esteja a criar circuitos para caminhadas e ciclistas (como é o caso desta que temos em Fraião) e estes parques de manutenção que estão a ser montados em vários sítios na cidade de Braga, quase sempre envoltos de poluição. Na minha opinião o exercício físico realizado nestas zonas faz mal ao organismo. No entanto acredito que o facto de serem instalados nestas zonas evita que estes sejam alvo de vandalismo.

Hoje em dia uma grande parte da população procura os ginásios para se exercitar e muitas das vezes fazem-no porque A ou B também o faz ou porque é chique. Por vezes estas pessoas exercitam-se sem acompanhamento especializado ou medico e fazem do bem o seu mal, porque cada pessoa é diferente.

Temos também que ter consciência que por vezes o facto de usarmos aparelhos de ginástica no qual toda a gente se senta e exercitou e tomarmos banho em locais usados por dezenas de pessoas, algumas com doenças crónicas não é o melhor. Aqui em Braga temos muitas zonas verdes porque não usa-las tirando destas o melhor partido. Ou então passar um fim-de-semana no Gerês e descobri toda a sua beleza através de caminhadas.

AS O Geres é uma zona protegida por isso é que ela se mantém agreste sem grandes alterações provocadas pelo homem, o mesmo não se pode dizer da terra onde nasci, que se chama 7 Fontes e pertence a freguesia de S. Victor concelho de Braga. Este bairro ainda não a muito vivia isolado, não tinha estradas nem transportes públicos, ainda hoje tem vestígios disso como são as calçadas romanas que separa as 7 Fontes da Adaúfe. O parque industrial só existe a cerca de duas décadas. Não existia escola no tempo em que eu frequentei esta, e por isso eu tinha que me deslocar a pé pelo meio do monte até a escola mais próxima que era no Bairro da Alegria. No entanto ainda hoje este bairro não tenha escola o que faz com que eu tenha novamente que me deslocar pelo monte e por caminhos de terra para levar a minha filha para a escola, só desta vez faço estas viagens de carro apesar de o caminho não ser muito bom. A cerca de um ano atrás foi desviada deste caminho para um outro de igual condições porque nessa zona começou a ser construído o novo hospital de Braga. Com a construção deste hospital vai sem duvida chegar o progresso as 7 Fontes o que também vai acabar com muitas zonas verdes em que este esta envolto, mas vão ser criados muitos acessos e muitos postos de trabalho e talvez futuramente uma escola publica. Apesar de acreditar que este bairro vai sofrer muitas alterações existe uma zona que vai ser requalificada e divulgada que é a zona das caixas de água e dos túneis que transportam agua das minas (nascentes) para a cidade de Braga através de túneis subterrâneos. Agua esta que agora não é valorizada porque existe água pública em todas as casas distribuída pela uma empresa (agere).

Quando eu era criança, talvez com 6 ou 7 anos vivia entre três tipos de habitação uma era a casa de uns lavradores (que agora não existe porque foi destruída devido a construção do hospital) cujo a minha mãe costumava ajudar e eu e os meus irmãos também ajudávamos naquilo que podíamos e aproveitava-mos para brincar com eles e ajudar a levar as vacas a pastar ou monte. Apesar de eu ter um pouco de medo destes animais, mas se queria brincar tinha que ser.

Reparava que a casa destes era muito diferente da casa dos meus avos maternos e da casa dos meus pais. A cozinha destes era muito grande, eles cozinhavam a lenha numa lareira, tinham um forno enorme feito em pedra onde coziam o pão, tinham também um maceiro em madeira onde amassavam as farinhas para fazer o pão e uma mesa enorme pois este casal tinha muitos filhos.

Esta casa não tinha agua canalizada no interior e então recolhiam com cântaros as aguas das nascestes que passavam pelas caixas de aguas.

Apesar de terem muitos filhos a casa destes só tinha três quartos muito pequenos e a casa de banho destes era num anexo fora da casa.

Por debaixo da casa eles tinham a adega, lá dentro tinham um lagar enorme onde faziam o vinho, e varias pipas barris de madeira onde mais tarde este vinho era armazenado. Mais ao lado tinham a corte do gado, o armazém da palha e da ração do gado. Junto a este tinham mais duas divisórias, uma com varias prateleiras onde armazenavam as batatas e as cebolas que colhiam nos seus campos e na outra tinham as salgadeiras para conservarem as carnes dos porcos que estes mesmos matavam. Mais separado da casa, virado ao sol tinham um celeiro com uma grande eira onde estes guardavam o milho depois de debulhada e vem seco.

Já a casa dos meus avos era muito diferente desta, apesar de estes também terem muitos filhos só tinham dois quartos, um corredor e uma cozinha muito pequena. Não tinham casa de banho, mas sim uma retrete fora da casa na qual tinham que apanhar mato no monte para a estrumar e para se sentarem tinham uma tábua com um buraco no meio. Também eles não tinham agua canalizada nem luz eléctrica, abasteciam-se da água de uma mina que existia próximo deles e iluminavam a casa com umas candeias que abasteciam a petróleo.

A casa dos meus avos era feita de saibro e pedras (o saibro era uma espécie de terra barrenta pouco segura). O chão da cozinha era em terra e o dos quartos e corredor era em madeira tal como a cobertura que isolava as divisões das telhas, excepto o teto da cozinha onde se viam os barrotes com as telhas. Esta casa já não existe, no lugar dela foi construído um café (café Joni).

UM A casa dos meus pais, á 34 anos atrás, chegou a ser uma das melhores casas do bairro. Esta foi construída em blocos, cimento e areia, e a toda a volta leva uma, caixa-de-ar (caixa de ar, significa que é construída com duas paredes paralelas entre si onde circula o ar) para evitar a humidade e isolar o calor e o frio. Hoje em dia esse vazio que fica entre as duas paredes é enchido com placas de esferovite, roofmate ou até mesmo com uma espuma própria. Esta casa tem uma placa feita em cimento que a isola das telhas; hoje em dia para além destas placas faz-se uma outra onde são aplicadas as telhas. Estas placas para além de um melhor isolamento evita que com o passar dos anos estes telhados fiquem as ondas, todos empenados e a meter agua.

A casa dos meus pais é constituída por várias divisões, como sendo 3 quartos, 1 sala de jantar, 1 casa de banho completa, 1 cozinha, 1 despensa e um corredor.

A casa de banho era composta por uma banheira, um bidé, um lavatório e uma sanita, toda ela era abastecida com água canalizada. Também a cozinha tinha agua canalizada, para além disto ela era composta por uma banca para lavar a loiça, um frigorífico, um fogão misto (gás e eléctrico) etc. Nos primeiros ano como não havia água pública toda a casa era abastecida com água proveniente de um poço que se encontrava no quintal.

A canalização da água foi feita no interior das paredes com tubos de ferro, que com o passar dos anos estão a sofre uma corrosão, o que faz com que a água fique imprópria para consumo. Hoje em estas canalizações são feitas com outros materiais, como o inox para a água quente e idronil para a água fria. Os tubos de inox são revestidos com uma esponja, esta serve para isolar o inox das paredes de cimento, o que ajuda a manter a água quente dentro dos canos e evita o constante super aquecimento das paredes evitando que estas se danifiquem com o passar dos anos. Usa-se o idronil para a água fria porque é mais barato, e como a água nestes canos não sofre grandes alterações, então este é o ideal.

As janelas da casa dos meus pais são de madeira e com um só vidro, hoje a maior parte das casas tem janelas de alumínio e vidros duplos, como as do meu apartamento. A manutenção destas é mais económicas, pois não é preciso pintar ou envernizar e os vidros duplos para além de fazerem um isolamento acústico servem também para fazer um isolamento térmico, pois evita que o ar quente do interior entre em contacto com o ar frio do exterior, evitando desta forma o embaciamento dos vidros. O meu apartamento para além dos vidros duplos no interior tem também uma outra janela de vidros simples no exterior, protegendo assim as persianas da neve.

O chão dos quartos, sala e corredor são de madeira encerada, hoje substitui-se a cera por verniz, para além de tornar este mais bonito torna-o também mais resistente.

Como a casa dos meus pais e o meu apartamento não tem humidade estas estão pintadas com uma tinta normal, pois não necessita de nenhuma tinta especial, como por exemplo tintas anti-fungos, estas são muito caras. As paredes da cozinha e casa de banho dos meus pais são, metade azuleio e metade de esmalte o que torna mais fácil a sua limpeza. O meu marido a uns anos atrás pintou estas com esmalte aquoso pois quase não tem cheiro ao contrário do esmalte sintético que deixa um cheiro intenso por vários dias.

A casa dos meus avos foi construída sem qualquer projecto, já a dos meus pais foi feita com projecto e teve que ter a aprovação da Câmara local.

Hoje em dia construir uma casa requer muito trabalho e engenharia, pois tudo é analisado desde o tipo de solo, se é um local sísmico, a sua estrutura de ferro, a pressão que esta vai suportar, o tipo de betão a usar etc. Por a uns anos não se pensar nisso é que a casa dos meus pais sofreu uns lanhos enormes nas paredes, o que levou a sua reparação e como acabamento final levou uma tinta elástica para não se quebrar com o micro deslocações sofridas pelo terreno.

Estou a pensar em por um chão flutuante novo no meu apartamento porque devido ao facto dos tubos, que levam a água quente da caldeira para os radiadores, não ficarem bem isolados, o chão descolou provocando algumas lombas no corredor.

A garantia do prédio era de cinco anos, como este já tem sete vou ter que ser eu a pagar o arranjo. Para isso eu tenho que medir o corredor, o que vou multiplicar o comprimento vezes a largura para saber quantos metros quadrados (m2) vou gastar e ver quanto é que o carpinteiro cobra por metro quadrado (m2).

O meu apartamento esta bem situado, pois tem perto uma padaria, um supermercado, um talho, uma peixaria, uma churrasqueira, uma lavandaria, dois cabeleireiros e um quiosque com pay shop. Tem transportes públicos com frequência e algumas zonas verdes, no entanto carece de um parque infantil ou um local para as crianças brincarem sem ser no meio dos carros que estão estacionados. Contudo eu prefiro passar o meu tempo na casa dos meus pais junto ao monte, foi lá que eu nasci e cresci e é lá que eu passo a maior parte das horas do dia, e muitas das vezes só venho dormir ao apartamento, tanto é que ainda não alterei a minha morada, e a minha filha anda na escola em que eu andei à trinta anos atrás.

Foi também neste bairro que eu comecei a trabalhar numa fábrica de calçado em 16-06-1986.

Quando lá cheguei não sabia fazer nada, portanto colocaram-me junto a uma pessoa que já lá estava a trabalhar a algum tempo, para eu aprender. No dia seguinte já sabia fazer aquele trabalho sozinho. Talvez devido ao facto de eu ser uma pessoa curiosa e habilidosa, rapidamente aprendi a fazer de tudo, no entanto existiam trabalhos elaborados por homens que eu nunca consegui fazer, pois não possuía a força física de um homem para o poder fazer, contudo conhecia o seu funcionamento e a técnica para o elaborar.

Esta empresa pertencia a um grupo estrangeiro (Rieker), e desta vez foi a minha vez de trabalhar para uma empresa Alemã, tal como o meu pai, mas sem sair de Portugal.

Esta foi uma época em que ouve uma deslocalização industrial de várias empresas para Portugal à procura de mão-de-obra barata.

Em 1996, portanto dez anos mais tarde esta empresa encerra as suas actividades em Portugal e desloca-se para Marrocos, novamente em busca de mão-de-obra barata.

E como esta muitas outras se seguiram, não só em Portugal mas também em vários Países pertencentes a Comunidade Europeia. E com a falta de emprego o racismo contra os imigrantes e os seus filhos e netos, provoca em vários países, como a França e a Alemanha, actos de violência gratuita.

Também a chegada massiva de imigrantes às Costas e às Ilhas Mediterrâneas e Atlânticas da União Europeia, particularmente a chegada às Canárias de imigrantes Africanos, a Itália enfrenta o grande fluxo de imigrantes albaneses, a Alemanha com a chegada de refugiados da antiga Jugoslávia e Portugal com a invasão dos Ucranianos, Romenos e os Brasileiros vem provocar uma rotura na economia destes países, pois com a falta de emprego e a chegada destes povos que vende o seu trabalho a um preço inferior ao que esta estipulado por lei, nos perdemos os empregos e qualidade de vida. Lá no fundo também estes são explorados por patrões sem escrúpulos, mas eles não se importam de viver em más condições de privacidade, higiene e alimentação só para poderem mandar o máximo de dinheiro para os familiares que ficaram nos seus países.

Neste momento com as ajudas que o governo oferece a natalidade alguns destes povos viraram «máquinas parideiras», sem querer com isto ofender ninguém, mas é um facto bem real, pelo menos aqui em Portugal. É difícil de imaginar onde isto vai parar, pois estas crianças vêm ao mundo com um só propósito, dinheiro apenas dinheiro e mais nada. Na minha opinião estes incentivos monetários à natalidade só vêm criar mais pobreza, porque são as classes mais pobres que se estão a iludir com estes incentivos, mas esquecem-se que é mais uma boca que vão ter para alimentar.

Quando eu trabalhava na fábrica de calçado eu vivia um pouco afastada destas realidades, mas hoje a trabalhar como caixa no continente de Braga passei a lidar com o mais diferenciado tipo povos, o que me dá a oportunidade de conhecer um pouco mais as suas diferenças, quer a nível linguístico ou cultural, ou religioso.

O povo ucraniano é um povo educado e humilde, que apesar de não falar português, esforça-se e em pouco tempo conseguem aprender este dialecto. Este povo tem um viver muito parecido com os portugueses, quer maritalmente, quer pelo afecto que demonstram pelos filhos, no entanto é pena que estejam a caminhar no sentido errado que é o de parir, parir e mais nada. Com isto eu acho que estão a perder o controlo das suas vidas e o carinho pelos seus filhos, pois nasce um atrás do outro, e se estão na pobreza pior ficam, pois é mais uma boca para alimentar. Sei no entanto que não me compete a mim decidir quem deve ou não ter filhos tendo em conta o princípio da vida e da morte que sustenta a humanidade há milhões de anos. A raça humana, uma raça animal racional tem-se multiplicado em função da forma com que encara a vida. Vejamos o caso da religião Testemunhas de Jeová, em que estes se recusam a usar qualquer tipo de concepção para evitar ter filhos, ou até mesmo autorizarem uma transfusão de sangue para salvar os mesmos. No entanto houveram alguns seguidores em que se baseando num princípio bíblico, em que diz «de mil passarás mas a dois mil não chegarás», referindo-se ao milénio, e vendo este aproximar-se e achando que o mundo acabaria, recusavam-se a ter filhos para não os ver morrer quando o mundo acabasse nessa data. Outro exemplo do princípio à vida sonegado por razões de explosão demográfica é uma lei na China que dita que um casal não poderá ter mais que um filho. Sendo as mulheres tornadas estéreis quando têm um filho.

O mesmo não acontece nos países europeus em que a população está a ficar envelhecida, não só se devendo ao facto da idade média de longitividade do ser humano ter aumentado, em parte graças aos avanços da medicina, mas também porque nascem menos bebés. Para tentar alterar estas realidades o governo tem alterado o decreto-lei a fim de fomentar as famílias a terem mais filhos, dando-lhes regalias sociais, protegendo as mães antes e pós parto. Por outro lado eu acho que estes incentivos só vão criar um aumento da pobreza visto que são estes os maiores adeptos destes incentivos.

Os romenos são um povo com descendência cigana, portanto diferente do povo português. Este povo é um povo com uma grande falha educacional, para além de não querer saber falar a língua do povo que o acolheu, leva a vida aos gritos e a danificar o que é do alheio. É um povo trapaceiro está-lhes no sangue à varias gerações. Não se prendem a um emprego pois não se dão presos em fábricas ou outros locais onde existam regras.

O povo brasileiro também é um povo que não se dá a trabalhar em espaços fechados tais como fabricas. Este povo tem a fama de ser povo sem pudor em relação ao seu corpo. Os brasileiros apaixonam-se e separam-se com a mesma rapidez e facilidade. No entanto nos, os portugueses temos vindo a imitar este povo não só no casa e descasa mas também no exibicionismo do corpo, e nada melhor para provar isso do que o nosso carnaval, que em nada tem a ver com o carnaval de à uns tempos atrás. Hoje o nosso carnaval é 100% brasileiro, o que não é de todo algo negativo, pois transmite muita energia.

Para além do samba, também a dança da capoeira se esta a enraizar com toda a força em Portugal.

Destes três povos o único com dialecto português é o povo brasileiro, no entanto eles alteram os sons das palavras, por exemplo eles acentuam muito a primeira sílaba e troca o (é) pelo (i) nos dizemos «menino» ou «gente» e eles dizem «mi nino» ou «genti» etc.

Para alem do Brasil existem outros locais onde se fala o português com por exemplo: Macau, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Moçambique, Malaca, Angola, S. Tome e Príncipe, Açores, Madeira e Timor. No entanto, todos estes povos tem formas diferentes de viver, diferentes culturas e crenças.

Tal como os humanos também os animais sentem a necessidade de migrarem com é o exemplo das andorinhas, que costumam visitar Portugal durante a primavera e o verão e passam o Outono e o inverno em África.

As andorinhas para alem de terem uma grande resistência e agilidade de voo, pois alimentam-se de insectos que capturam durante estes voos, têm também uma grande capacidade de orientação, até parece que tem GPS nos olhos e no cérebro, pois elas emigram para África e ao imigrarem de volta elas regressam de volta para os seus antigos ninhos, ninhos estes que elas próprias elaboraram em forma de taça com palha e lama abrigados nas beiras dos telhados.

O aquecimento global, esta a aumentar e a alterar os hábitos de várias espécies migratórias pois com o aumento da temperatura a primavera chega cada vez mais cedo ao continente europeu, O que leva estas a mudar os seus padrões de migração. Algumas chegam mesmo a ficar desorientadas, como por exemplo os Grifos (abutre preto) que continuam a aterrar no Algarve.

As andorinhas podem-nos ajudar a prever o tempo, pois quando elas voam baixo existe uma forte probabilidade de vir chuva, porque quando a pressão atmosférica esta baixa, os insectos costumam voar mais baixo e como as andorinhas alimentam-se de insectos enquanto voam, então podemos observar um grande bando de andorinhas a voar a baixa altitude na recolha destes insectos.

Quando chove, a chuva não cai de forma igual em todo o lado. Existem regiões extremamente secas e outras muito húmidas. A precipitação é sempre medida em milímetros (mm) por metro quadrado (m2). Nos em casa podemos fazer esta medição utilizando por exemplo uma piscina ou recipiente para recolher esta chuva.

Existem outras formas de ver se vem chuva ou não, uma delas é ler mapas meteorológicos ou então analisar o céu e ver que tipo de nuvens existe no céu (DOC. Pag. 13)

A chuva é composta basicamente por moléculas de água (H2O) no estado líquido podendo conter algumas poeiras provocadas pela poluição.

A chuva é armazenada nas nuvens sob a forma de pequeninas gotinhas de água.

Quando uma nuvem aquece, as gotinhas de água transformam-se em vapor de água (ou seja em estado gasoso) e as nuvens começam a desintegra-se. Mas, quando arrefece, muitas destas minúsculas gotinhas de água juntam-se e formam uma gota de água. Quando esta gota de água se torna demasiado pesada, cai em direcção à Terra no estado líquido. No entanto quando esta gota de água cai através de camadas de ar frio, esta chega à terra em forma de flocos de neve. A neve é constituída por cristais com seis pontas, os quais se podem juntar em grandes flocos. Cada cristal de neve tem uma forma própria não há dois iguais. No entanto estas gotinhas podem cair na terra sob a forma de granizo ou seja no estado sólido. Este granizo é formado em nuvens de tempestade, as gotas de água pesada são projectadas para cima vezes sem conta, pois o interior da nuvem é turbulento, então de cada vez que a gota de água é virada forma-se mais uma camada de gelo a sua volta, quando começa a ficar demasiado pesadas estas começam a cair sobre a terra.

Apesar de estes fenómenos acontecerem a quantidade de água na terra é sempre igual, ela apenas esta em constante movimento.

Ela corre para os rios para os mares, corre nas nossas torneiras em casa, flutua no ar em forma de nuvens, cobre os pólos sob a forma de gelo etc., a tudo isto é chamado o ciclo da água, em primeiro lugar o sol provoca a evaporação da água dos mares, rios, solo molhado etc., em segundo lugar o vapor da água no ar arrefece e começa a formar nuvens, em terceiro lugar quando as gotas de água começam a ficar demasiado pesadas, a nuvem larga a chuva, neve ou granizo. Em quarto lugar a água infiltra-se na terra, corre para os riachos e rios, para os lagos ou para o mar.

No entanto quando não chove as partículas e gases provocados pela poluição mantêm-se na atmosfera e dá-se o efeito de estufa que funciona mais ao menos da seguinte maneira:

Durante o dia, a atmosfera deixa os raios solares passar quase sem nenhum impedimento até à superfície do solo, o que faz com que o solo aqueça. A terra reflecte depois este calor de volta para o espaço. Uma parte deste calor é no entanto mantida na atmosfera por certas partículas do ar e certos gases. Este calor armazenado é responsável pelo aquecimento da camada do ar á volta da terra.

O efeito de estufa aumenta quanto mais gases existirem na atmosfera, pois mais partículas no ar podem armazenar mais calor.

AS Um dos maiores responsáveis por este aquecimento global é o homem, mais do que qualquer ser animal, porque para além de criar mais dióxido de carbono (CO2) do que aquele que inspira, porque as nossas células ao queimarem alimentos produzem dióxido de carbono, o que acontece em qualquer processo de combustão, este dióxido de carbono é expirado para a atmosfera.

Também as fabricas criadas pelo homem, os carros, o abate de árvores, os gastos energéticos desnecessários, a pouca reciclagem, a combustão de lixo orgânico provocado com exagero etc.

No entanto hoje estamos bem informados para estes efeitos - causas e temos muitas formas de evitar estes gastos.

Por exemplo ao compra papel, preferir papel reciclado pois evita o abate de árvores e sempre que possível reutilizar o papel já usado, quer seja em casa como no local de trabalho.

Em casa num dia de frio é preferível usar uma camisola em vez de ligar o aquecimento central, no caso das pessoas mais abonadas monetariamente. E no caso das pessoas mais pobres, pois são estas que mais a usam, evitar as lareiras pois esta combustão da lenha a arder liberta dióxido de carbono.

Andar a pé ou de bicicleta sempre que possível, em vez de andar de carro.

Utilizar lâmpadas economizadoras para poupar energia, por exemplo: lâmpadas de halogéneo que produzem uma luz mais clara do que as outras e gastam menos e energia. Estas contem vapor dos elementos bromo e iodo. A estes elementos, em conjunto com cloro ou flúor, dá-se o nome de halogéneo.

Um outro exemplo é usar lâmpadas com LED (Light Emission Diode), estas são compostas por um dispositivo electrónico que a partir de uma baixíssima percentagem de energia é capaz de irradiar uma grande quantidade de luz. Permite uma maior poupança energética, produzindo a mesma quantidade de luz. Por outro lado, o tempo de vida útil de um LED é extremamente elevado.

Desligar completamente a televisão, o rádio, a impressora, o computador ou outros electrodomésticos em vez de os deixar em standby.

Quando usar a maquina de lavar roupa utilizar, utilizar esta com carga cheia e não abusar no detergente, e de preferência usar um produto de limpeza biodegradável.

Quando estivermos a tomar banho ou a lavar os dentes fechar as torneiras enquanto nos esfregamos.

Manter vigilância em relação as fugas de água, quer em torneiras como autoclismos ou até mesmo em dispositivos de rega.

Verificar a pressão dos pneus do veículo, pois a baixa pressão dos pneus provoca um maior atrito ao piso e disto resulta um maior acréscimo do consumo de combustível e consequentemente libertação de dióxido de carbono.

Usar sacos biodegradáveis para o lixo orgânico e recicláveis para fazer a separação do vidro, embalagens, plásticos e cartão.

Quando eu ou os meus filhos fazemos a separação, utilizamos o ecoponto verde para os vidros (quando apareceram os primeiros ecopontos estes só existiam para a separação de vidro, eram compostos por dois ecopontos, um branco onde colocávamos o vidro chamado branco e um outro verde onde colocávamos o vidro escuro ou seja verde ou acastanhado), o amarelo para as embalagens e plásticos e o azul para o cartão.

Também no meu local de trabalho esta reciclagem é feita, quer eu esteja no caixa da cafetaria, onde eu ajudo a separar o cartão, as latas dos refrigerantes, os copos de plástico e as garrafas de vidro, quer eu faça a reposição de materiais para abastecer a linha de caixas no qual sobram muitas embalagens de cartão que eu mesma vou colocar num Bagão da Braval que se encontra no cais. Este cartão entra no Bagão e é esmagado e prensado de modo a ocupar pouco espaço, para quando for feito o transporte este conseguir levar muito material em poucas viagens.

Na nossa loja existem também os pilhões para a recolha de pilhas usadas e os electrões para a recolha de pequenos electrodomésticos sem vida e para lâmpadas usadas.

Na nossa loja são feitos outro tipo de recolhas tais como: recolha de rolhas de cortiça usadas, recolha de tinteiros usados e recolha de tampinhas de plástico que mais tarde serem pesadas para a atribuição de um valor monetário que é destinado para a compra de cadeiras de rodas que serão oferecidas as pessoas deficientes motoras mais necessitadas.

A AMI (Assistência Medica Internacional) tem um projecto de recolha de óleos alimentares usados, e conta já com a participação de cinco mil pontos de recolha em todo o país, incluindo restaurantes, hotéis, cantinas, escolas, juntas de freguesia e câmaras municipais, estando a listagem disponível no site www.ami.org.pt.Este projecto ambiental permite evitar quer a contaminação das águas residuais quando o óleo é despejado na rede pública de esgotos, quer a deposição dos óleos alimentares usados em aterros, quando colocados nos contentores de resíduos comuns.

Estes óleos alimentares usados e que sejam recolhidos serão depois transformados em biodiesel, fornecendo uma alternativa ecológica aos combustíveis fósseis e contribuindo para reduzir as emissões de dióxido de carbono para a atmosfera. Ao contrário do que por vezes acontece com o biodiesel de produção agrícola, esta forma de produção não implica a desflorestação nem a afectação de terrenos.

Estas receitas angariadas pela AMI serão aplicadas no financiamento das equipas de Rua que fazem o acompanhamento social e psicológico aos sem - abrigo, melhorando a sua qualidade de vida.

Em todos os fenómenos da natureza, seja o movimento de um objecto, a transformação de uma substancia noutra, o aquecimento de um líquido ou a produção de um som ou luz, existe intervenção de energia.

A energia eléctrica que se consome no mundo provém de várias fontes:

_ Energia Térmica - carvão

- Derivados de petróleo

- Gás natural

_ Energia química - pilhas e baterias

_ Energia da biomassa - de matérias orgânicas

_ Energia mareomotriz - das marés e das ondas

_ Energia nuclear - da fissão

_ Da fusão

_ Energia geotérmica - do calor do interior da terra

_ Energia hidráulica - barragens hidroeléctricas (central hidroeléctrica)

_ Energia eólica - aerogeradores (parque eólico)

_ Energia solar - foto voltaica

- Térmica (produção directa de calor)

Estas energias são transformadas em outras energias úteis tais como, energia mecânica, energia luminosa e acústica, energia calorífica.

Existem dois tipos de energia que são as renováveis e as não renováveis.

As renováveis são aquelas que não se esgotam, não poluem tais como a energia hidráulica, eólica, solar, biomassa, geotérmicas e mareomotriz.

As não renováveis são aquelas que existem na terra em quantidades limitadas e que portanto esgotarão com o seu uso continuado. Destas energias temos as que poluem e deixam resíduos tais como os combustíveis fósseis (carvão, gás natural, petróleo), e temos também as que deixam resíduos muito radioactivos tais como a energia nuclear proveniente de combustível nuclear (urânio, plutónio…) através de reacções de fissão nuclear.

Chama-se fissão nuclear à divisão de um núcleo atómico em dois em que pode ocorrer uma reacção em cadeia controlada (central nuclear), ou uma reacção em cadeia não controlada (bomba atómica) que provoca a destruição do meio ambiente e de qualquer vestígio de vida animal e vegetal num raio de vários hectómetros.

Chama-se fusão nuclear à união de dois núcleos atómicos simples, que não deixa resíduos ao contrario da fissão, e uma grande produção de energia muito mais que na fissão. É caso da bomba de hidrogénio que pode ter uma aplicação militar e uma capacidade destrutiva muito superior à da bomba atómica.

Mudando de assunto o meu dia-a-dia também vai sendo bombardeado não com bombas atómicas que seria fatal, mas sim com contas e mais contas para pagar tais como a prestação da casa ao banco que esta constantemente num sobe e desce por um período de tempo que eu mesmo e o meu banco negociamos que esta indexado á EURIBOR 6 meses e um SPRED referente à diferença entre o preço de compra (procura) e venda (oferta) da mesma transacção monetária. Por exemplo se eu compra-se uma acção na bolsa de valores a 0,10 cêntimos e a vende-se a 1 euro, tinha um SPRED de 0,90 cêntimos, que seria o meu lucro. Grande parte do lucro obtido pelos bancos advém desta diferença.

Tenho também a conta da água para pagar a AGERE do qual tenho um tarifário domestico, em que quanto mais água gastar maior é o valor a pagar, não só em valor da água gasta mas também acresce o tarifário da drenagem de águas residuais e a tarifa de resíduos. A conta da luz que pago de dois em dois meses a EDP no qual pago o valor da energia que consumi e também a contribuição áudio-visual. A emissão de CO2 associada ao consumo da minha factura é de 113,11Kg aproximadamente e é produzida a partir das seguintes fontes de energia: _ Hídrica 9,1%

_ Carvão 22,2%

_ Gás Natural 35,7%

_ Fuel 1,6%

_ Nuclear 7,1%

_ Hídrica PRE 0,3%

_ Eólica 13,6%

_ Cogeração e microproduçao PRE 8,2%

_ Outras 2,2%

PRE- significa PRODUÇÃO EM REGIME ESPECIAL em que o mix apresentado corresponde a um mês que vem designado na factura.

GE Tenho também a factura da internet com um tarifário fixo se em não entrar em sites no qual se paga pelo seu uso.

No meu apartamento tenho também o condomínio no qual pago trimestralmente em que se paga um extra para o fundo de maneio no qual a empresa condómina utiliza para alguma emergência de requalificação do prédio.

Pago anualmente o seguro do meu carro. E é anualmente que o meu carro tem que ir a um centro de inspecções, que coincide com o mês do registo do carro e é nesse mês que eu mando o carro para o meu mecânico a fim de lhe fazer uma revisão geral.

Para alem destes gasto fixos tenho outros, como por exemplo a alimentação, o calçado e a roupa, muito de longe a longe o cabeleireiro etc.

Em minha casa existe também gastos a nível cultural, em que todos no agregado familiar temos gostos diferentes, talvez por termos idade e sexo diferentes. Eu adoro comprar livros científicos ou que expliquem o funcionamento do globo terrestre, tanto a nível de física, química, geografia, biologia, historia, tecnologia, saúde etc. Já o meu marido só gosta de ler jornais e de preferência desportiva. Para os passatempos do meu filho de quatro anos invisto em DVD de banda desenhada variados e livros da ANITA que são os preferidos dele. E por fim para a minha filha de nove anos compro DVD da BARBIE, da PIPPI DAS MEIAS ALTAS, e DVD de uma serie televisiva muito interessante que se chama ERA UMA VEZ O CORPO HUMANO estas colecções são distribuídas pelo PLANETA DE AGOSTINI.

Sempre que possível retiramos algum dinheiro para o lado como fundo de reserva para qualquer eventualidade que possa surgir e para sempre que seja possível ter ferias em conjunto com o meu marido (caso raro) nos possamos visitar e redescobrir todas as maravilhas nacionais, porque Portugal é um Pais magnifico e único quer a nível paisagístico como monumental. Se eu tivesse bastante tempo livre e dinheiro era em Portugal que eu investia o meu tempo e dinheiro pois não me agrada muito a ideia de passar ferias fora do meu Pais.

Como não tenho muito dinheiro para investir na bolsa, ou a nível imobiliário, ou para comprar telas caras como as de PICASSO etc. Eu compro cristais e porcelanas de boa qualidade, mesmo que no futuro estas não se valorizem monetariamente, valorizam a minha casa pois é magnífico o brilho que estas irradiam.

Este é o gráfico com o meu orçamento familiar mensal:

RECEITAS

DATA

DESCRIÇAO

VALOR

01-09-2009

SALARIO DE ROSA PAULA

500,00 €

01-09-2009

SALARIO DE JORGE

900,00 €

15-09-2009

ABONO DE FAMILIA DA INÊS

35,00 €

15-09-2009

ABONO DE FAMILIA DO MARCO

35,00 €

00-09-2009

EXTRA DO ARTESANATO

80,00 €

TOTAL

1.550,00 €

DESPESAS

DATA

DESCRIÇAO

VALOR

01-09-2009

PISCINA INÊS

24,00 €

25-09-2009

PRESTAÇAO DA CASA

300,00 €

25-09-2009

SEGUROS DA CASA

40,00 €

27-09-2009

ÁGUA

20,00 €

28-09-2009

ELECTRICIDADE

25,00 €

28-09-2009

GÁS

25,00 €

28-09-2009

INTERNET

30,00 €

00-09-2009

CONDOMINIO

30,00 €

00-09-2009

SUPERMERCADO

350,00 €

00-09-2009

PADARIA

40,00 €

00-09-2009

FRUTARIA

60,00 €

00-09-2009

QUIOSQUE E PAPELARIA

30,00 €

00-09-2009

SEGURO DO FORD

22,00 €

00-09-2009

SEGURO DO SEAT

20,00 €

00-09-2009-

GASOLINA DO FORD

70,00 €

00-09-2009

GASOLINA DO FORD

50,00 €

00-09-2009-

ROUPA E CALÇADO

50,00 €

00-09-2009

EXTRAS DE ROSA PAULA

100,00 €

00-09-2009

EXTRAS DE JORGE

100,00 €

00-09-2009-

FARMACIA-DENTISTAS-ETC

40,00 €

TOTAL

1.426,00 €

QUADRO DE RESUMO

TOTAL DE RECEITAS

1.550,00 €

TOTAL DE DESPESAS

1.426,00 €

SALDO POSITIVO

124,00 €

Esta tabela contem alguns valores que não são reais mas estão muito aproximados da realidade.

NOTAS:

Os seguros automóveis são pagos anualmente sendo o seu valor anual de:

FORD - 264 euros

SEAT-240 euros

As despesas da electricidade e gás são pagas de dois em dois meses sendo o seu valor bimensal de:

Electricidade 50 euros

Gás 50 euros

O meu condomínio é pago de três em três meses sendo o seu valor trimestral de 90 euros.

No entanto a fim de evitar o endividamento familiar tento manter controladas as despesas mensais, evitando despesas supérfluas ou desnecessárias.

Por outro lado tento arranjar forma de aumentar as receitas mensais dedicando-me nas horas vagas a fazer peças de artesanato em madeira e vime. Também a restaurar roupa, a bordar e a fazer croché.

Estes são trabalhos muito mal pagos e muito morosos que neste momento esta a ser confundido com trabalhos muito parecidos que chegam a Portugal provenientes da China. Mas este tipo de jogadas comerciais já vêem de à muitos anos atrás, porque não vai há muito tempo também eu e a minha mãe bordávamos chapéus de palha para serem vendidos na Madeira como «made in Madeira».

Lembro-me de ver uma reportagem na televisão sobre a forma como os chineses se preocupam com a sua saúde e bem-estar, físico ao ponto de se exercitarem durante o expediente, e que existiam empresas que deixavam os seus funcionários dormir a cesta e ainda lhes ofereciam massagens. Tentaram provar que a China era um país mais evoluído que a Europa a nível de ergonomia e que com isto conseguiam evitar muitas doenças profissionais provocadas pela monotonia do trabalho. Mas esse é o lado bonito que os media nos querem impingir, porque não é esse o lado que consegue produzir o suficiente para evadir, quer a nível de artesanato, têxtil, electrónica, brinquedos etc. Todo o mercado Europeu. Porque se repararmos quase não existe uma loja que não tenha produtos provenientes da China.

Apesar de a China ser um país um pouco empoeirado em termos sociais, bate de longe toda a Europa a nível de tecnologia e ciência.

Foi na China a primeira utilização do papel-moeda, no século II antes de Cristo, que se realizaram as primeiras trocas comerciais em que se utilizava papel-moeda como troca por mercadorias.

Na Europa foram os comerciantes os primeiros a usar o papel-moeda. Foi a partir daí que apareceram os cambistas e banqueiros. Nasceu a partir daí outras formas de troca e de quitação, como as letras, o cheque e a nota de banco.

Foi na Suécia, mais propriamente em Estocolmo, em 1661, que criou as primeiras notas em toda a Europa. E foi no reinado de D. José I que em Portugal apareceu o primeiro banco público, no século XVII, sendo nessa data a primeira vez do aparecimento em Portugal do papel-moeda como troca por mercadorias.

Em Portugal as primeiras notas surgiram em 1822, chamadas de «notas do Banco de Lisboa». E em 1846 a junção do banco de Lisboa com a Companhia Confiança Nacional, surgiu o Banco de Portugal e a emissão das notas, tendo funcionado no edifício da Câmara Municipal de Lisboa. Embora designado de Banco de Portugal não detinha a exclusividade da emissão de notas.

Vivemos há vários anos num ambiente que se diz de crise. Crise no trabalho, crise de cultura, crise económica, crise social, crise na época do escudo e crise com o euro.

A criação da moeda única pelos países da União Europeia foi um momento histórico de grande importância para Portugal e para todos os países que a ela aderiram.

Foi criada em 1999 e começou a circular em 01 de Janeiro de 2002.

A cunhagem da moeda foi um grande desafio para a indústria da moeda pois num curto espaço de tempo tiveram que produzir uma grande quantidade de moedas, pois o mercado quase dum dia para o outro teve que adoptar essa moeda. Embora tenha havido um espaço de tempo em que circularam as duas moedas, a população sentia uma grande ansiedade em ter e usar a nova moeda. Nos primeiros dias a procura da nova moeda superou a oferta, o que fez com que as pessoas fizessem fila à porta dos bancos quer para terem a nova moeda como para trocarem os escudos pelos euros. E eu presenciei toda essa agitação e vou explicar mais a frente como.

O euro equivale a 200,482 escudos. Esta valorização da moeda de troca fez com que, uma grande maioria das pessoas perdessem a noção do valor do mesmo, ou seja, onde antes tinham duas notas de 100$00, agora tinham apenas uma moeda de 1 euro. Como por exemplo imaginando que nessa época um café custa-se 30$00, passou nessa data a custar 20 cêntimos. Tudo isso provocou uma inflação adicional à já existente.

Nos primeiros tempos quase todas as pessoas andavam no bolso com uma calculadora de conversão da moeda do escudo para o euro. Foi muito frequente ver pessoas nas lojas comerciais a fazerem compras com calculadora na mão.

O euro é constituído por 8 moedas: 1 cêntimo, 2 cêntimos, 5 cêntimos, 10 cêntimos, 20 cêntimos, 50 cêntimos, 1 euro e 2 euros e as notas são 7; 5 euros, 10 euros, 20 euros, 50 euros, 100 euros, 200 euros e 500 euros.

Cada país pode cunhar as suas próprias moedas com temas alusivas ao seu próprio país, contudo todos tiveram que pôr na cunhagem das moedas uma frente igual para todos alterando apenas o verso, enquanto as notas são iguais para todos os países da Comunidade Europeia.

Para que possa pagar as contas do agregado familiar é necessário que eu e o meu marido tenhamos trabalho e não podemos faltar a este porque caso contrario os nossos salários não chegam para pagar as contas. Se em 1996 eu estivesse casada com o meu actual marido que na altura era meu namorado tinha ficado em maus lençóis, como se costuma dizer, pois ficamos os dois desempregados porque a empresa para o qual trabalhávamos encerrou. Foi uma fase muito revoltante da minha vida, não pelo facto de ser despedida porque a males que vêem por bem, mas sim da forma como o fizeram, pois estávamos todos a trabalhar como era de costume todos os dias e vieram pessoal de uma transportadora e começaram a levar as maquinas uma a uma sem que ninguém se dignasse a explicar o que estava a acontecer. E todos os empregados ficaram no meio de todo o trabalho sem o poder fazer pois não tinham máquinas. E só no dia seguinte é que nos foi comunicado que a firma encerrou e nos foram feitas as propostas de despedimento. A minha proposta só foi assinada passados três dias porque eu não estava na lista dos despedimentos, mas sim na lista de transferência para Felgueiras ao qual eu não aceitei e então fiquei de «castigo» a ver um a um os meus colegas a ser despedidos. Quando já não tinham mais ninguém para despedir voltaram a me chamar para uma «lavagem ou cérebro» pensando eles que aquele «castigo» já me tinha «amolecido», mas em vez disso só me enfureceu ainda mais, e ainda hoje não esqueci tal barbaridade com que todo o processo foi feito.

O que levou a que na altura não fosse obrigada a ir para Felgueiras foi que eu estava a estudar de noite e defendi-me com o facto de que se multiplicassem a distância em km entre Braga e Felgueiras pelo tempo que disponha ate começar as aulas este valor dava uma velocidade superior a 50 km por hora, portanto esta velocidade era superior ou limite máximo designado pela junta autónoma das estradas.

Um dos outros motivos foi o facto de me quererem levar a mim contra vontade, quando existiam outros colegas que não se importavam de ser transferidos, pois em vários casos foram despedidos marido e mulher, e quando eu os confrontei com este facto a resposta deles foi que só queriam levar quem soube-se fazer de tudo o que é do maior cinismo imaginável. Como é que uma pessoa pode ser considerada das melhores funcionárias, se o meu salário era dos mais baixos comparados com os meus colegas.

Admito que durante os dez anos que lá trabalhei sempre foi bem tratada e respeitada, quer pelos meus chefes como pelos meus colegas de trabalho, mas não era com simpatia que eu pagava as minhas contas, pois eles atribuíram a primeira categoria a muitos funcionários mas nunca me atribuíram tal categoria a mim. Como já não basta-se o facto de eu ganhar menos por ser mulher ainda me diziam que eu era muito nova e solteira não precisava tanto como os meus colegas. Então se esse era o lema da empresa, porquê despedir os casais e pessoas com muita mais idade do que eu, que iriam ter mais dificuldade em arranjar um outro emprego.

E foi pelo facto de eu naquele momento difícil ter tido a capacidade argumentativa de demonstrar a minha personalidade forte e decidida que consegui mostrar o meu antagonismo ao que se dizia ser o lema da empresa, criando uma aceitação a tudo que eu argumentei, o que estimulou a minha capacidade de afirmação.

Moral da história é que não se pode governar uma casa com conversas da treta, e «a quem muda Deus ajuda». Este é um provérbio bem antigo mas bem real pois não levei muito tempo a arranjar emprego no CARREFOUR de Braga e evitei passar pelo mesmo pesadelo visto que não levou muito tempo para que encerrasse também a dita empresa de Felgueiras, para não falar do facto de ter sido pago uma percentagem mais elevada nas indemnizações atribuídas aos despedimentos feitos em Braga comparado com os despedimentos que deram aos funcionários que aceitaram ir para Felgueiras.

Essa indemnização foi no valor de um mês por cada ano de trabalho mais um subsídio de férias e um décimo terceiro mês.

Esta indemnização deveu-se ao facto de eu ter assinado um contrato (garantia) em que me propunha a trabalhar para a empresa oito horas por dia, e cinco dias por semana, e a entidade empregadora se propunha a dar trabalho oito horas por dia e cinco dias por semana, não podendo ser dispensada sem um aviso prévio e indemnização.

No entanto nem sempre foi este os horários laborais porque no tempo em que a minha mãe trabalhava, esta trabalhava não cinco mas sim seis dias por semana e oito horas por dia, e só mais tarde é que saiu a lei de trabalharem oito horas por dia, mas ao sábado até ao meio dia (chamava-se semana Inglesa). E só mais tarde é que se passaram a trabalhar 40 horas semanais. Foram tempos de grandes mudanças em que a estes se aliaram também o direito à greve, consagrados aos trabalhadores a partir da revolução de 25 de Abril. Foram dadas mais regalias aos trabalhadores, como direitos sociais até aí impensáveis. Como é o caso do direito ao salário, o direito à greve, o direito a férias, direito a protecção no emprego, direito a assistência na doença e mais recentemente o direito a formação profissional.

Quando assinei o contrato com o CARREFOUR de Braga foi por cinco horas diárias durante cinco dias por semana. Este contrato foi renovado por duas vezes consecutivas e ao terceiro fiquei efectiva.

Apesar de neste novo emprego trabalhar apenas cinco horas, ganhava mais do que quando trabalhava na fábrica, porque para além de ter um salário base superior, também recebia subsídio de trabalho nocturno, subsídio de trabalho ao domingo e subsídio de trabalho em feriados, devido ao facto de passar de um horário fixo para um rotativo.

No entanto ao fim de pouco tempo comecei a me sentir mais cansada do que na época em que trabalhava na fábrica, pois estes horários rotativos faziam com que eu sentisse uma certa dificuldade em gerir o meu tempo. Desejei muitas vezes o antigo horário de 8 horas por dia, das 8 da manha as 5 da tarde. Cheguei também a desejar trabalhar de sol a sol como na agricultura sem ter que picar o cartão, pois toda aquela constante muda de horários, deixavam-me super cansada e sem cabeça nem vontade de fazer nada. No entanto hoje continuo a fazer 5 horas de trabalho, só que estou num horário fixo nocturno, e com isto acabou a minha preocupação de me enganar no horário. Para além deste sossego sinto que tenho tempo para tudo, e quantas mais tarefas vou realizando mais vontade tenho de fazer mais e mais.

Na época escolar, começo o meu dia as 7:30H, pois tenho que levar a minha filha para a escola. Começo o meu dia por me vestir e de seguida acordo os meus filhos, vesti-os e tomamos o pequeno -almoço em casa. As 9 horas passo na casa do meu sobrinho e levo-o junto com a minha filha para a escola. De seguida vou para a casa da minha mãe onde tenho sempre que fazer, quer seja em artesanato, como na lida da casa, pois a minha mãe cria animais, tais como galinhas e coelhos. Por volta do meio-dia regresso a escola para ir buscar a minha filha e o meu sobrinho para almoçar. No fim do almoço volto a levar estes para a escola, e regresso a casa da minha mãe. Durante todo este tempo para além da companhia dos meus pais tenho sempre o meu filho Marco de 4 anos comigo. Ele adora estar na casa dos meus pais, pois pode correr, andar de bicicleta, e mexer na terra. Enfim o passatempo preferido dele é sujar-se, mas eu não me preocupo com isso, pois ele é uma criança saudável e cheio de energia, e eu sinto que todas essas brincadeiras o tornam feliz.

As 17 e 30 é hora de ir novamente a escola para trazer as crianças para casa, deixo o meu sobrinho na casa da minha mãe e vou para o meu emprego (no continente de Braga). Levo os meus filhos, porque entretanto o meu marido sai do emprego e vai lá ter. Quando chego ao continente faço a troca com ele. Ele estaciona o carro dele e leva o meu com as crianças para casa. Á noite é ele que da de jantar as crianças e as prepara para dormi, pois eu só regresso a casa por volta da meia-noite.

Neste momento encontro-me numa fase da minha vida em que sinto o tempo voar, o mesmo não acontecia quando eu era pequena em que o dia pareciam nunca ter fim. Cada hora e cada dia pareciam não ter a medida que efectivamente têm, mas durar muito mais. Eu acho que isto acontece com todas as pessoas, quando chegamos a meia-idade, o ritmo dos dias toma novo sentido, aumentado a sua velocidade.

Para me ajudar a controlar e a gerir o meu tempo eu uso o relógio, coisa que não acontecia no tempo dos meus avos, pois eles eram pobres e não tinham relógio, então controlavam-se pelo sol.

O homem desde os tempos mais primitivos sempre quis medir o tempo, inventando o relógio do sol. Sempre quis controlar o dia e a noite, mas só nos Últimos séculos veio a descobrir que o dia e a noite, o verão, o inverno, a primavera e o Outono, dependiam do movimento da terra em volta do sol, que o ano começou a ser medido pelo tempo em que a terra demora a dar uma volta em volta do sol. E que o dia e a noite foram medidos pelo tempo em que a terra demora a dar uma volta sobre si mesmo. A estes dois movimentos chama-mos de movimento de rotação e movimento de traslação.

O homem desde os tempos mais remotos até ao presente, foi evoluindo e inventando novas formas de medir o tempo.

Há mais de treze séculos os padres e monges foram os pioneiros neste capítulo. No século XVI é inventado o primeiro relógio de bolso.

Hoje os relógios poderão ser mecânicos, electrónicos, de pêndulo, de quartzo e atómicos. Sendo estes últimos os mais eficazes e mais precisos.

TIC No meu local de trabalho também o tempo é contabilizado ao segundo, pois desde que eu pico o cartão até a hora de sair, tudo é analisado, como por exemplo o tempo que eu levo a registar cada artigo que os clientes levam, o tempo que eu me ausento da caixa para ir a pausa, que eu posso trabalhar a mais ou a menos. Tudo isto é computorizado e guardado em bancos de dado.

Um outro meio de ajuda no meu dia-a-dia é o telemóvel ao qual eu lhe atribuo-o varias funções desde despertador para me ajudar a acordar ou até mesmo para me lembrar de alguma data ou tarefa, visto que este dispõe de uma agenda. Por outro lado ajuda-me a comunicar a distância, quer oralmente ou por SMS ou seja por mensagem escrita. Quando eu envio uma mensagem eu evito que esta seja muito longa, mas nunca utilizo palavras abreviadas ou mesmo destorcidas como é um facto bem real entre a classe mais jovem, em que eles quase comunicam por código que eu ainda não consigo decifrar. Estes «códigos» só levam a que eles desaprendam de escrever correctamente o português. É notório também a rapidez com que estes conseguem escrever sem olhar para o telemóvel.

O meu telemóvel tem no ecrã um relógio que me ajuda a ser pontual onde quer que eu vá.

Durante o tempo que eu passo a trabalhar no CONTINENTE de BRAGA eu não posso ter o telemóvel comigo, mas para poder comunicar a nível interno eu tenho sempre ao meu dispor um telefone.

No meu local de trabalho eu lido diariamente com um computador, no qual este já se encontra pré programado, que são os que temos na linha de caixa. Este computador esta programado em conjunto com um scanner para ler códigos de barras aos quais lhes foram atribuídos um nome e um preso. Estes dados são informatizados por pessoal especializados para tal, no entanto eu disponho de uma forma para corrigir algum preço que não coesiva com o que esta no linear, que é fazendo uma venda a secção. Mas estas vendas a secção nunca se realizam sem primeiro dar conhecimento a secção e a pessoa que esta de permanência a loja. É de reparar que estes erros diminuíram muito desde que este hipermercado passou para CONTINENTE. Talvez se deva a uma maior fiscalização mas também a um maior controlo de presos?????? que são efectuados diariamente e também aos meios técnicos que estes funcionários utilizam para emitir uma nova etiqueta na hora.

No teclado eu também decido qual a forma ou formas de pagamento que o cliente vai utilizar. No caso de este me pagar em dinheiro eu não tenho que fazer contas pois este esta programado para que quando eu colocar a quantia de dinheiro que o cliente me deu, este me enforma do troco que eu tenho que dar. É neste que eu anulo artigos ou formas de pagamentos, tais como vales de desconto, dinheiro etc. No entanto existe uma forma de pagamento que eu não consigo anular que é um pagamento com cartão quer seja de crédito ou débito.

Todas as caixas estão interligadas a um computador que esta na caixa central, e é através deste que a qualquer momento estes podem verificar se eu estou a trabalhar ou em pausa, que tipo de anulações eu faço e porquê etc.

Recentemente estamos a trabalhar com um novo método científico, que se chama kaizen, este método trouxe muita organização na loja, mas também muitas coisas ridículas de tão exageradas que são, como por exemplo: colocar uma etiqueta junto ao interruptor a dizer «interruptor» como se não soube-se o que aquilo é. Como melhorias temos por exemplo: o novo método para arquivar as facturas, em que elas são armazenadas por ordem não só de datas mas também por o numero da caixa de onde esta foi emitida. Foi também criado através deste método «um local para cada coisa e cada coisa no seu local». Este sistema tem uma grande funcionalidade visto que diariamente várias pessoas têm que mexer no mesmo em horários diferentes, portanto se isto for respeitado, mais ninguém vai perder tempo a procura de nada.

Hoje se eu precisar de ir buscar algo ao economato nem preciso de abrir a porta para saber onde esta o que procuro, pois a entrada da porta eu tenho um LAYAUT que me enforma a planta de o compartimento em causa.

Hoje em dia todos quase todos os locais de mercado estão computorizados e cada qual faz as suas alterações no funcionamento do seu software de modo a se ajustar ao seu negocio, o que nem sempre é fácil criar bases de dados na programação de um computador, sendo necessário formação ao nível de programação e mesmo autorização do autor dos programas para poder aceder à base de dados.

O mercado dos computadores é actualmente um dos maiores mercados do mundo. Sendo as firmas que elaboram programas informáticos, componentes electrónicos ou tecnologia informática os que mais lucros obtêm e mais se tem desenvolvido nos últimos tempos.

Os computadores mais vulgares são os chamados computadores pessoais, ou computadores de secretaria. Hoje também temos o bem conhecido e adorado no mundo das crianças que se chama de MAGALHAES. Este computador portátil foi financiado pelo estado e distribuído pelas crianças nas escolas primarias, a um preço acessível de zero euros, vinte euros e cinquenta euros. Na minha opinião este foi algo muito bom para ajudar o desenvolvimento das crianças e de as igualar visto que as crianças mais pobres jamais poderiam passar para o mundo do mercado do trabalho, com as mesmas sabedorias informáticas, pois os seus pais não têm dinheiro para lhes dar um computador ou pagar qualquer curso a nível informático, logo estas crianças de futuro não viriam as mesmas oportunidades de emprego.

No meu caso pessoal também não tive qualquer tipo de apoio a nível informático na escola, excepto no curso de electrotecnia em que tínhamos apenas um computador numa das salas e no qual não podíamos mexer, mas sim apenas ver o professor mexer o que me ajudou a ter algumas ideias do seu manuseamento e funcionalidade. Mais tarde quando a minha filha tinha cinco anos eu comprei um. Este é constituído por um monitor da marca Philips, um teclado, um rato e pelo «cérebro» que é o CPU. Neste eu estalei o CD com o programa WINDOWS XP com o qual ele já vinha fornecido pelo operador. Hoje e devido ao facto de eu me ter escrito nas novas oportunidades eu adquiri um computador portátil; este é mais pequeno, prático e fácil de transportar para qualquer lado pois vem incorporado com uma bateria e neste eu utilizo o WINDOWS VISTA.

Quando comprei o computador este não continha o programa antivírus, nem o MICROSOFT OFFICE WORD 2007, nem o MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007 e portanto eu tive que comprar os CDS para estalar estes programas.

Todos os dados que eu digito no computador são emitidos através de um código binário, ao qual chamamos de bit. Bit é um dígito em um número binário, que assume valor lógico (o ou 1). Byte é um conjunto de 8 bits, através do qual um computador codifica as informações.

Foi na aquisição deste portátil que eu aderi a internet que a cerca de 40 anos dava os primeiros passos em Portugal.

A internet é um conglomerado de redes em escala mundial de milhões de computadores interligados pelo protocolo de internet que permite o acesso a todo o tipo de informação a nível mundial.

A internet é neste momento a tecnologia mais utilizada em todo o mundo, podendo-se afirmar que o uso da internet contribui para o desenvolvimento da sociedade da informação e também da melhoria das condições de vida dos cidadãos, pois proporciona novos hábitos, práticas de trabalho, estudo, lazer, consumo e procura de informação, desde a utilização pessoal, à utilização empresarial e comercial, ao correio electrónico etc.

A utilização da internet nos serviços públicos contribuiu para a desburocratização dos serviços, como por exemplo a entrega das declarações do IRC, reclamações on-line, pagamentos de serviços ou preenchimento de formulários.

A internet permite-nos receber informação de um modo célere, actualizando em tempo real, como exemplo disso serviços noticiosos ou desportivos. Hoje em dia é possível participar em congressos ou ate mesmo em julgamentos por vídeo-conferência. Por outro lado esta facilidade de acesso tem os seus aspectos negativos, como por exemplo o seu fácil acesso permite a menores de idade a navegação em sites de índole menos próprios para as suas idades, em que mesmo que os pais estejam atentos por vezes não o conseguem evitar. É também através da internet que as redes de pedofilia mais se expandem.

É também através da internet que eu recebo o meu correio electrónico, e foi através deste que eu recebi uma cópia do organograma da minha empresa.

Um organograma é um gráfico que representa a estrutura dos vários órgãos de uma organização ou empresa. Destina-se a mostrar como estão dispostas as unidades duma organização e a sua hierarquia.

O registo do primeiro organograma apareceu nos Estados Unidos da América por volta de 1856.

GE DR2 A nossa sociedade encontra-se estruturada sob a forma de organograma. Falo de super estruturas como sejam os órgãos de soberania, como por exemplo: assembleia da república, governo, tribunal constitucional, tribunais. Estruturas empresariais, como sejam as várias empresas com as suas linhas de comandos hierárquicos. Câmaras e assembleias municipais, juntas de freguesia.

Dentro da própria família funciona o organograma.

Este é quase sempre em forma de pirâmide, em que todos ou grande parte tentam atingir o seu cume. É assim a essência da vida e é assim que graças a estas ganâncias controladas o mundo progride e avança.

Para se elaborar um organograma deve ter-se os seguintes cuidados:

_ Deve evitar-se o uso de siglas, códigos, abreviaturas, pois um organograma sendo um instrumento de comunicação, deve ser de fácil entendimento.

_ O departamento ou órgão deverá ser chamado pelo seu próprio nome e hierarquia, como seja, gerência, admistraçao, departamento financeiro.

_ A subordinação dum órgão em relação a outro devera ser executado por linha cheia de cima para baixo, ou da esquerda para a direita. Órgãos de igual hierarquia deveram estar desenhados na horizontal e separados de rectângulo, circunferência, ou outra forma de representação.

_ Os órgãos horizontais deverão estar representados todos iguais, podendo estar sobrepostos e até diferenciados por linhas diferentes.

_ Não devera estar fraccionado, ou seja, parte numa folha e parte noutra.

_ Deverá usar-se a representação mais simples, e de fácil compreensão, como seja em rectângulos.

O organograma da minha empresa obdese a todas estas regras expto o cargo que a dona Lurdes Vilaça ocupa que se encontra descriminado em siglas tal como o coordenador dos recursos humanos senhor Filipe Saraiva que também se encontra designado por siglas. Não vou a ordem hierárquica deste organograma pois este esta constantemente a sofrer alterações. Mas de uma coisa eu tenho a certeza dentro desta empresa eu gosto do cargo que ocupo, pois enquanto eu ocupar este carga vou continuar a ter tempo e disposição para criar os meus filhos sem stress.

A este organograma é do tipo clássico chamado o vertical, é o mais vulgar, elaborado com rectângulos que representam os órgãos e as linhas que representa a ligação e comunicação entre eles.

Para além deste existem outros tipos de organogramas tais com:

Em barras: representados por rectângulos a partir duma base do tamanho do rectângulo, onde o tamanho do rectângulo corresponde ao grau de importância dentro da organização, quanto maior for o rectângulo, maior a sua influencia na organização.

Em sectores: elaborado por meio de círculos concêntricos, uns dentro dos outros, onde o central é o de maior importância.

Radial: elaborado em sistema circular, também designado de solar, principalmente usado nas grandes organizações.

Lambda: apresentam apenas grupos de órgãos que possuam características comuns a todos.

Bandeira: representam grupos de órgãos na estrutura da organização ou empresa.

Organograma linear de responsabilidade: o objectivo deste organograma não é apresentar a posição de cada órgão, mas sim a ligação e relacionamento entre eles e a responsabilidade entre cada um.

Informativo: apresenta um máximo de informações de diversas naturezas relacionadas com cada órgão da empresa.

EST As máquinas industriais são máquinas em cujo seu funcionamento torna o trabalho das empresas mais produtivo.

Por exemplo quando eu comecei a trabalhar em peças de artesanato de vime para fazer o fundo de um cesto eu entrelaçava os paus uns nos outros e aí começava a sua tecelagem. Mais tarde comecei a usar fundos de aglomerado no qual eram pregados ao pauzinhos de vime e para isso usava o martelo e pregos. Hoje esse processo é mais rápido pois substitui o martelo por pistolas de agrafar e os pregos por agrafes.

O que para mim foi um grande avanço pois agora elaboro o trabalho muito mais rápido e com mais precisão. Para essas pistolas funcionarem tenho que ter um compressor no qual controlo a sua pressão de ar de acordo com a recomendada pelo fabricante da pistola.

Dentro da pistola existe uma calha no qual são colocados os agrafes, que por sua vez são empurrados para junto da saída por uma mola, como os agrafadores manuais, só que nestas os agrafes não são injectados pela pressão da mão mas sim do ar que vem do interior do compressor. O meu compressor esta na casa dos meus pais, num anexo feito no quintal porque ele é muito grande e barulhento, pois ele armazena no seu interior 250 litros de ar comprimido. Esse ar é levado do exterior para o interior por um mecanismo que esta preso no freio que o faz entrar e sair até abastecer o compressor, depois de ter a carga máxima ele desliga-se e só volta a ligar quando a carga de ar no seu interior for inferior a que eu tenha programado, e esta ligado a corrente eléctrica no trifásico.

Este compressor tem muitas utilizações como por exemplo, se lhe colocar uma pistola de ar dá para limpar o pó, se lhe colocar a pistola com controlador de pressão dá para encher os pneus do meu carro ou encher os pneus das bicicletas dos meus filhos, ou até mesmo bolas. Existem também kits de pistolas para a pintura que podem ser usadas utilizando o ar proveniente deste compressor.

Na fábrica onde eu trabalhei durante dez anos também existiam alguns compressores de grande porte, pois varias máquinas necessitavam da pressão de ar para desempenhar os seus trabalhos como era o caso das prensas de calcanhares dos sapatos, das pistolas da pintura, das pistolas de brilho etc.

Nem todos os electrodomésticos são abastecidos no monofásico, por exemplo o motor de tirar água do poço dos meus pais é trifásico e a betoneira de fazer massa de cimento também esta ligada no trifásico, já a máquina de lavar roupa está ligado no monofásico para além de outros pequenos electrodomésticos.

O significado de trifásico quer dizer que a corrente esta dividida em três fases e monofásico que esta dividida em duas fases. A corrente eléctrica é a deslocação de electrões por um fio condutor (neste caso fio de cobre, pois é um bom condutor eléctrico).

Os electrões são a parte da constituição de um átomo, pois os átomos são constituídos por protões (+), neutrões (neutros) no núcleo e electrões (-) que se encontram a sua volta distribuídos por níveis energéticos (s, p, d, f) e sei que o nível (s) só contem dois electrões e os níveis (p, d, f) só podem conter seis electrões. O facto que leva a que sejam os electrões a mover-se e não os protões é porque a massa dos protões é muito mais elevada do que a massa dos electrões.

Lembro-me de algumas experiências realizadas na escola muito engraçadas que me ajudaram a entender certas acções e reacções quando se juntavam determinados elementos. Para isso eu aprendi a entender a Tabela Periódica dos elementos, que é constituída por os 118 elementos químicos ou seja os 118 átomos existentes. É com a junção de um ou mais átomos que se formam as moléculas e é de moléculas que é constituída toda a matéria, tudo o que vemos a nossa volta, o que vestimos, o que tocamos, o que comemos e até o que não vemos e não podemos tocar, mas que por vezes sentimos o cheiro.

Uma das experiencias que realizei foi para descobrir se a água era um bom ou mau condutor de corrente eléctrica. Para isso eu utilizei uma lâmpada, uma bateria (pilha de 1,5 volts) e três fios eléctricos com mais ou menos 0,5 metro cada um. Com estes materiais criei um circuito eléctrico ligando o primeiro fio a um dos pólos da pilha, liguei o segundo ao outro pólo da pilha e a outra ponta deste fio a um pólo da lâmpada e no outro pólo da lâmpada liguei o terceiro fio. Depois descarnei as pontas do primeiro e terceiro fio, que não estavam ligadas a nada, e por fim mergulhei-as numa tina com água (sem encostar as pontas dos fios) e reparei que a luz da lâmpada não acendeu. Depois fiz a mesma experiencia utilizando o mesmo mecanismo, mas com sal na água e reparei que a luz da lâmpada acendeu. Então para entender o porquê disto ter acontecido tentei decompor (mentalmente) estas moléculas, tendo em conta o facto do que os átomos são neutros porque têm tantos protões (+) como electrões (-). O sal quando é diluído na água muda, porque o sal é composto por átomos de sódio e cloro, daí o nome científico molecular de cloreto de sódio. Então quando dissolvi o sal na água, grande parte do sal decompõe-se em átomos separados de sódio e de cloro. E como os átomos de cloro têm uma atracção mais forte para os electrões do que o sódio, os átomos de cloro acabam com um electrão extra e os átomos de sódio com um electrão a menos. A estes átomos que estão com carga positiva ou negativa são chamados de iões. E são os iões do cloro e os iões do sódio que conduzem a electricidade na solução salgada.

Para saber quem poderia perder ou ganhar electrões eu fiz a distribuição dos electrões de cada um no diagrama de nível energético (s, p, d, f) e para fazer essa distribuição fui a tabela periódica buscar o número de átomos com que cada qual é constituído.

Mas estes progressos não aconteceram só na industria, também em nossas casas estes progressos são notórios. No meu caso pessoal tenho reparado muito mais neste desenvolvimento tecnológico desde que me casei, pois passei a lidar muito mais com os meus electrodomésticos.

Aqui em casa tenho vários tipos de electrodomésticos de várias formas e volumes uns abastecidos a corrente eléctrica e outros a pilhas. Destes electrodomésticos existem alguns que só são usados pelo meu marido como por exemplo a máquina de barbear e a máquina de cortar cabelo e outros que só são usados por mim tais como a depiladora e a máquina de lavar a roupa. Em relação a todos os outros electrodomésticos não existe grande diferença entre mim e o meu marido na utilização destes, mas o mesmo não acontece na casa dos meus pais, isso talvez por pertencerem a uma outra geração, em que a mulher é que tinha a obrigação de cuidar das lidas de casa, e é por esse motivo que o meu pai só põe a mão na máquina de lavar em caso de avaria, para a tentar arranjar.

Com o passar dos anos os electrodomésticos vão sendo aperfeiçoados, o que vai complicando as suas reparações e faz com que a habilidade por si só não chegue, tendo-se que recorrer a técnicos especializados para proceder a sua reparação, o que hoje em dia é fácil de encontrar uma oficina especializada para aquilo que a gente necessita.

Hoje em dia esta partilha das lidas de casa entre homens e mulheres devem-se ao facto destas se ocuparem de igual modo fora de casa nos seus empregos, o que lhes deixa pouco tempo para as lidas de casa. E é também devido a este facto que houve a necessidade de se criarem ajudas para acelerarem todos os trabalhos caseiros, como por exemplo o aspirador, o micro-ondas e as máquinas de lavar loiça ou de lavar a roupa. Para além disso existe uma necessidade de tornar estes mais rápidos e a necessidade de os tornar mais económicos.

Quando olhamos para um electrodoméstico que temos em casa, sabemos que houve um primeiro, e que esteve muito longe daquilo que ele é agora, como por exemplo o ferro de engomar: que foi inventado pelos chineses à 1500 anos em que eles utilizavam uma caçarola com brasas. Mais tarde inventaram-se diversos ferros, como o que serve para passar as golas na época do Renascimento, é também inventado um em que se colocavam brasas no seu interior e um outro que se aquecia em cima das salamandra, só que estes ferros eram de ferro forjado e eram portanto muito pesados e tinha que se repetir o seu aquecimento várias vezes o que fazia com que as pessoas nessa época levassem muito tempo a engomar uma peça de roupa.

Com a descoberta da corrente eléctrica aparecem então os ferros eléctricos, e mais tarde o ferro eléctrico com dispositivo para criar vapor, sabendo que a água no estado gasoso entranha melhor nas fibras dos tecidos do que a agua no estado liquido, o que faz com que se engome uma peça de roupa melhor e mais rápido. Também as suas bases foram construídas de modo a se tornarem mais deslizantes, evitando assim o atrito. Temos também vários botões para regular a temperatura do ferro e a sua dosagem de vapor, pois nem todas as fibras são iguais porque umas precisam de mais calor e humidade do que outras.

Em relação a máquina de lavar a roupa a primeira apareceu por volta de 1830, em que era preciso rodar uma manivela e a roupa era passada numa tina de madeira cheia de água e sabão, e mais tarde uma outra para que a roupa branca fique mais limpa era preciso ferve-la utilizaram a lixiviadora a vapor: a água a ferver subia no cilindro e caia por cima da roupa.

E finalmente a maquina de lavar a roupa eléctrica que não só tem a função de lavar a roupa, mas também fazer com que esta saía da maquina quase seca, para isso é utilizada uma lei da física, que é a força centrifuga, em que o tambor da maquina gira a uma certa rotação por minuto i???? assim faz com que a roupa seja projectada contra as beiras do tambor (que tem buraquinhos pequeninos para deixar passar a água e não a roupa) e assim faz com que a água se solte da roupa, deixando-a quase seca.

A minha máquina leva uma carga de 7Kg o que me permite lavar mais roupa de uma só vez e também colchas e cobertores, coisa que a da minha mãe não consegue lavar pois só leva uma carga de 5Kg.

Quando eu adquiri a minha máquina foi-me entregue uma factura para a garantia, em que a loja estava obrigada a pagar a reparação desta em caso de avaria durante um período de dois anos, contudo se a avaria fosse provocada por minha negligência ou mau uso o custo do orçamento de reparação, bem como o valor cobrado pela reparação, sendo a mesma realizada só após a minha autorização, suportadas por mim. No entanto é me dada uma satisfação de garantia em que se eu não estiver satisfeito tenho 15 dias para solicitar a troca ou devolução.

Em todo o caso é preciso saber lidar com estas pois o seu mau uso as pode danificar como por exemplo: colocar dentro dela mais do que a carga aconselhada pelo fabricante ou então usar varias vezes o máximo das rotações por minuto para torcer, apesar de elas serem testadas para tal, quanto maior for a velocidade do tambor maior é a trepidação sofrida pela maquina, o que pode reduzir o seu bom funcionamento com o passar do tempo.

Ao colocar uma carga completa estamos a reduzir os gastos de água, que seriam os mesmos que eu gastaria se não enche-se a máquina.

Ao utilizar o horário nocturno reduziria o meu tarifário eléctrico, mas para isso eu teria que ter um contador próprio para esse efeito e tinha que o requisitar a EDP. No entanto divido ao facto de morar de noite num apartamento pouco iria beneficiar com este pois de noite eu não posso aspirar, utilizar máquinas de lavar roupa ou loiça, pois estas fazem muito barulho.

Writing Services

Essay Writing
Service

Find out how the very best essay writing service can help you accomplish more and achieve higher marks today.

Assignment Writing Service

From complicated assignments to tricky tasks, our experts can tackle virtually any question thrown at them.

Dissertation Writing Service

A dissertation (also known as a thesis or research project) is probably the most important piece of work for any student! From full dissertations to individual chapters, we’re on hand to support you.

Coursework Writing Service

Our expert qualified writers can help you get your coursework right first time, every time.

Dissertation Proposal Service

The first step to completing a dissertation is to create a proposal that talks about what you wish to do. Our experts can design suitable methodologies - perfect to help you get started with a dissertation.

Report Writing
Service

Reports for any audience. Perfectly structured, professionally written, and tailored to suit your exact requirements.

Essay Skeleton Answer Service

If you’re just looking for some help to get started on an essay, our outline service provides you with a perfect essay plan.

Marking & Proofreading Service

Not sure if your work is hitting the mark? Struggling to get feedback from your lecturer? Our premium marking service was created just for you - get the feedback you deserve now.

Exam Revision
Service

Exams can be one of the most stressful experiences you’ll ever have! Revision is key, and we’re here to help. With custom created revision notes and exam answers, you’ll never feel underprepared again.